Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Quinta, 26 de Maio de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Tempestades vão ser detectadas em MS

Adriana Haas/ACS - 18 de agosto de 2003 - 14:56

A Eletrosul, coordenadora do Consórcio das Empresas que compõem o Sistema Integrado de Detecção de Descargas Atmosféricas e Eventos Meteorológicos Críticos (Projeto Siddem), estará sediando nestas segunda e terça-feira (18 e 19/08) a reunião com as equipes técnicas das demais empresas participantes. Durante o encontro serão escolhidos os sítios para instalação de sensores de descargas elétricas. Estará presente no evento o professor Osmar Pinto Júnior, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), consultor do projeto.
O engenheiro Remus Zaharescu, representante da Vaisala, fabricante mundial de sensores com esta especificidade, prestará informações técnicas que vão contribuir para a escolha das localizações do equipamento. Ele também fará uma apresentação sobre o sistema de monitoramento existente na Finlândia, semelhante ao que se pretende implantar em Santa Catarina.
No total, serão instalados 15 sensores: no Mato Grosso do Sul, nas imediações dos municípios de Ponta Porã e Coxim, em Santa Catarina, próximo dos municípios e São Joaquim, Canoinhas, Campos Novos, São Miguel do Oeste e São José, e no Rio Grande do Sul, na região dos municípios de Uruguaiana, Candiota, Santa Maria, Osório, Entre Rios, Lagoa Vermelha e Santa Rosa.

Projeto Siddem - é um novo sistema integrado de Detecção de Descargas Atmosféricas e Eventos Meteorológicos Críticos, que visa localizar a formação de raios e detectar a formação de tempestades, a fim de reduzir o risco de desligamentos do sistema de transmissão e distribuição de energia elétrica. O Siddem está sendo desenvolvido pela Eletrosul em parceria com a AES-Sul, CEEE, Celesc, Enersul, RGE e Tractebel, com a participação do Departamento de Engenharia de Produção e do Lactec, da UFSC, Fundagro e Climerh/Epagri e apoio especial do Inpe. O Sistema é pioneiro na região sul e está orçado em R$ 8 milhões.
O sistema vai permitir o monitoramento "on line" da evolução de frentes de tempestades, favorecendo a tomada de ações preventivas. Também permitirá um melhor gerenciamento das causas de faltas intempestivas que afetam o fornecimento de energia, permitindo maior agilidade e rapidez no restabelecimento das condições normais de fornecimento.
Mais que isso, o Siddem vai facilitar a identificação dos sistemas e equipamentos sujeitos a maiores riscos e dar subsídios às áreas de engenharia e planejamento para a definição ou adequação dos sistemas de proteção e para a eventual necessidade de construção de novas linhas de transmissão. A previsão meteorológica de curtíssimo prazo também será possível no sistema a ser instalado, dando condições para alertas em caso de fenômenos severos.

Raios no Brasil

· Todos os anos ocorrem cerca de 70 milhões de descargas elétricas;
· Isso equivale a três raios por segundo;
· A maior incidência - 70% - ocorre entre os meses de outubro e março;
· Os estados mais atingidos são o Rio Grande do Sul e o Mato Grosso;
· Os prejuízos causados pelas descargas chegam a R$ 500 milhões/ano

SIGA-NOS NO Google News