Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Terça, 18 de Maio de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Palmeiras bate o River fora de casa e larga na frente por vaga na final

Fonte: SE Palmeiras

Redação - 05 de janeiro de 2021 - 22:32

Foto: Palmeiras
Foto: Palmeiras

O Palmeiras visitou a equipe do River Plate-ARG na noite desta terça-feira (05) pelo jogo de ida da semifinal da CONMEBOL Libertadores e, pela contagem de 3 a 0, superou a equipe argentina, no Estádio Libertadores da América (do Independiente de Avellaneda, em Avellaneda, Grande Buenos Aires-ARG, pois o estádio do River, o Monumental de Nuñez, passa por reforma) com gols de Rony, no primeiro tempo, e de Luiz Adriano e Viña, na etapa final. Desta forma, o Verdão tem vantagem no jogo de volta do torneio continental, que acontece na próxima terça-feira (12), às 21h30 de Brasília, no Allianz Parque. O time que avançar de fase enfrenta na finalíssima o vencedor de Santos e Boca Juniors-ARG.

Na atual edição da Libertadores, o Palmeiras tem ótimo aproveitamento: é o único clube invicto, com nove vitórias e dois empates em 11 jogos, além de 32 gols marcados (melhor ataque, seguido do próprio River Plate-ARG, com 31) e quatro sofridos. Caso avance à fase final, esta será a quinta vez que o Verdão chega a esta etapa do Continental: já foi finalista em 1961, 1968, 1999 (campeão) e 2000; vale lembrar que esta é a oitava vez que o Alviverde participa da fase semifinal da Libertadores, incluindo eventuais triangulares finais, como acontecia antigamente, e esteve na fase que precedeu a decisão em 1961, 1968, 1971, 1999 (campeão), 2000, 2001, 2018 e, agora, 2020.

Dono da melhor campanha da fase de grupos da Libertadores 2020, o Palmeiras alcançou o feito pela terceira edição seguida, sendo o único clube do continente a registrar o melhor desempenho na fase de classificação em três anos seguidos neste século. Em 2020, o Palmeiras repetiu os mesmos 16 pontos registrados em 2018, com cinco vitórias e um empate, enquanto em 2019 obteve 15 pontos, com cinco triunfos e uma derrota. Na fase de grupos da atual edição, o Verdão registrou também o segundo melhor ataque entre todos os 32 participantes, com 17 gols marcados contra 21 do River Plate-ARG, e a segunda melhor defesa, com dois gols sofridos contra um do Boca Juniors-ARG.

A trajetória alviverde nesta Libertadores começou com vitórias sobre Tigre-ARG (2 a 0 na Argentina), Guaraní-PAR (3 a 1 no Allianz Parque) e Bolívar-BOL (2 a 1 na Bolívia). O Palmeiras não iniciava uma Libertadores com três vitórias consecutivas desde 1968, quando obteve cinco triunfos antes de empatar o sexto jogo – desde então, foram 17 edições e, no máximo, duas vitórias em sequência a partir da estreia. Nos confrontos seguintes da fase de classificação, empatou com o Guaraní-PAR (0 a 0 no Paraguai) e goleou Bolívar-BOL e Tigre-ARG, ambos no Allianz Parque e ambos por 5 a 0.

Os triunfos diante de bolivianos e argentinos, inclusive, passaram a dividir a terceira posição na lista das maiores goleadas do Verdão em Libertadores na história (atrás apenas do 6 a 1 sobre o Boca Juniors-ARG, em 1994, e do 7 a 0 sobre o El Nacional-EQU, em 1995) e se tornaram a maior goleada do Allianz Parque no geral, igualando os 5 a 0 aplicados sobre o Grêmio Novorizontino pelo Campeonato Paulista de 2018.

Nas oitavas de final, o Verdão passou após vencer o Delfín-EQU por 3 a 1 fora de casa, em Jocay, no Equador, e por 5 a 0 em casa. E nas quartas de final passou pelo Libertad-PAR, com empate por 1 a 1 fora de casa (Defensores del Chaco, em Assunção-PAR) e vitória por 3 a 0 em casa, no Allianz Parque.

Tradicional na competição, o Palmeiras é um dos três clubes brasileiros com mais edições de Libertadores disputadas: esta é a 20ª, assim como Grêmio e São Paulo, sendo a quinta vez consecutiva, feito inédito na história alviverde. O Palmeiras ainda carrega a honra de ter sido o primeiro brasileiro a disputar uma final de Libertadores: em 1961, logo na segunda edição do torneio, quando enfrentou o Peñarol-URU na grande decisão e ficou com o vice-campeonato. O Alviverde chegou à final em 1968, 1999 (campeão) e 2000.

PALMEIRAS ALCANÇA, DE FORMA ISOLADA, SUA MAIOR INVENCIBILIDADE GERAL DE SUA HISTÓRIA NA LIBERTADORES

Ao longo de todas as suas participações na CONMEBOL Libertadores desde 1961, quando, logo de cara foi finalista (vale lembrar que o torneio fora instituído em 1960), o Verdão atingiu, no máximo, dez jogos de invencibilidade: em 2001, com três vitórias e sete empates, e a série atual, de oito vitórias e dois empates, correspondente justamente à campanha do Alviverde na edição de 2020. Ao ter passado sem ser derrotado pelo River Plate-ARG nesta noite, o Maior Campeão do Brasil chegou ao inédito 11º duelo sem ser derrotado ao longo de sua jornada na competição mais importante das Américas.

PALMEIRAS ALCANÇA INÉDITO 9º JOGO INVICTO SEGUIDO FORA DE CASA PELA LIBERTADORES

Se independentemente do mando de campo o Palmeiras obteve sua maior invencibilidade na história da Libertadores (ao ter passado pelo River sem ser derrotado, chegou ao 11º duelo sem reveses), especificamente no cenário visitante, o Verdão também ampliou a maior série invicta que já alcançou fora de casa pelo Continental – atualmente soma nove jogos sem conhecer derrota (seis vitórias e três empates) e esta já é a maior sem ser vencido fora de casa, chegando ao 9º duelo sem ser superado fora de seus domínios.

BRASILEIRO COM MAIS VITÓRIAS NA LIBERTADORES

Com 107 triunfos ao longo de suas 20 participações na Libertadores, o Palmeiras ampliou seu saldo de brasileiro com mais vitórias na competição continental (havia igualado as 106 vitórias do Grêmio em seu duelo anterior, contra o Libertad-PAR); em segundo lugar, aparece o Tricolor Gaúcho, com 106 vitórias, e o Cruzeiro, com 95 triunfos pela Libertadores, terceiro colocado.

EDIÇÃO DE 2020 REGISTROU MELHOR ATAQUE DO VERDÃO PELA LIBERTADORES NESTE SÉCULO

Considerando as disputas de Libertadores neste século, o Verdão, com seu triunfo mais recente, por 3 a 0 sobre o River Plate-ARG, ampliou ainda mais o seu saldo com a maior quantidade de gols marcados em uma única edição: são 32 gols em 2020 contra 26 tentos em 2001, antigo recorde no século, quando a equipe chegou à semifinal da competição.

EDIÇÃO DE 2020 REGISTROU MAIOR NÚMERO DE VITÓRIAS DO VERDÃO PELA LIBERTADORES NESTE SÉCULO

O Palmeiras também atingiu a marca de mais vitórias em uma mesma edição de Libertadores neste século. Agora são nove triunfos na Libertadores 2020, superando os oito obtidos (em 12 duelos) no ano de 2018 – antigo recorde no século.

PALMEIRAS MANTÉM INVENCIBILIDADE DE 21 ANOS CONTRA O RIVER PLATE-ARG

De quebra, o Palmeiras manteve uma longeva invencibilidade diante do rival argentino. Desde que se enfrentaram, coincidentemente, na fase semifinal da CONMEBOL Libertadores de 1999, Palmeiras e River Plate-ARG disputaram outros quatro jogos, e o Verdão não perdeu nenhum, somando seis duelos invictos no total – o primeiro da sequência foi ainda pelo jogo de volta da semi contra o adversário argentino, em 1999 (já a última derrota foi justamente no jogo de ida, no Monumental de Nuñez, em Buenos Aires-ARG). No total dos seis duelos em que está invicto, o Alviverde soma três vitórias e três empates.

ASPECTOS INDIVIDUAIS

Individualmente, o técnico Abel Ferreira busca a sua sexta classificação em jogos de mata-mata desde que assumiu o time. Abel Ferreira assumiu o comando da equipe do Palmeiras justamente em um jogo que valia classificação para Copa do Brasil, após o interino Andrey Lopes (o Cebola) ter dirigido a equipe no jogo de ida diante do Red Bull Bragantino – oitavas de final. Com o triunfo por 1 a 0 no jogo de volta já com Abel (após ter vencido por 3 a 1 na ida, fora de casa), o Palmeiras obteve a primeira classificação na era do novo treinador. Em apenas 18 jogos no comando da equipe, outros cinco duelos classificatórios já foram disputados. E no total dos cinco, são 100% de aproveitamento: em 18/11, foi o auxiliar Vítor Castanheira que dirigiu a equipe na classificação para as semifinais passando pelo Ceará nas quartas (empate por 2 a 2 fora de casa) – Abel estava suspenso. Depois, em 02/12, novamente com Abel, foi a vez de passar pelo Delfín-EQU nas oitavas de final da Libertadores, rumo às quartas; mais tarde, em 15/12, o Alviverde passou pelo Libertad-PAR nas quartas de final, garantindo vaga às semifinais, também com o português Abel Ferreira; e por último, no dia 30/12, a vitória por 2 a 0 sobre o América-MG fora de casa (após empate por 1 a 1 em casa) garantiu acesso à final da Copa do Brasil 2020.

Com bom retrospecto em seu início no Palmeiras (11 vitórias em 14 jogos, um empate e duas derrotas sofridas), o português Abel Ferreira ficou de fora de quatro compromissos do Verdão desde que assumiu o comando do time – um há pouco mais de um mês, quando esteve suspenso pela Copa do Brasil diante do Ceará, jogo que rendeu classificação às semifinais (o auxiliar e compatriota Vitor Castanheira comandou em seu lugar); depois, em três partidas mais recentes, já no último mês (dezembro), não pôde dirigir a equipe por ter sido infectado pelo novo coronavírus. Desta vez, o outro auxiliar, João Martins, também português, dirigiu a equipe em todos estes compromissos (empates por 2 a 2 com o Santos, pelo Brasileiro, por 1 a 1, com o Libertad-PAR, pela Libertadores, e triunfo diante do Bahia por 3 a 0 pelo Brasileiro). Em casa, o retrospecto de Abel é ainda melhor: oito jogos e nenhuma derrota! Sete vitórias um empate, com um único gol sofrido (no 1 a 1 diante do América-MG, em casa, pelas semifinais da Copa do Brasil). Desta forma, ao todo em seu trabalho no Alviverde (incluindo os jogos comandados pelos auxiliares), são 18 duelos disputados: 12 vitórias, quatro empates e duas derrotas.

SIGA-NOS NO Google News