Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Terça, 30 de Novembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

UFGD disponibiza 96 vagas de professores; confira

Dourados News - 14 de abril de 2006 - 08:28

Dezoito cursos da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) vão ser contemplados pela contratação de professores por meio de concurso público. O processo seletivo encontra-se no período de inscrições, sempre obedecendo a titulação em níveis de doutorado, mestrado e especialização.

Ao todo, estão sendo oferecidas 96 vagas, para contratação ainda nesse semestre. A distribuição de vagas prevê ampliação no quadro de docentes de cada curso da universidade, incluindo os sete novos cursos a serem oferecidos pela universidade este ano. O único curso que não vai ser contemplado pela efetivação de professores nesta primeira etapa é agronomia, que hoje possui o maior quadro docente da UFGD, com 27 efetivos.

O curso de medicina vai receber o maior número de professores. São vinte vagas oferecidas na primeira etapa do concurso. Com isso, será o segundo curso com o maior quadro de docentes da universidade, atrás apenas do curso de agronomia.

As vagas também vão ser distribuídas para os cursos de biologia (1 professor); matemática (4); análise de sistemas (5); direito (7); administração (4); ciências contábeis (3); geografia (1); história (1); letras (8) e pedagogia (7).

Entre os cursos novos, a distribuição de vagas prevê a efetivação de até seis professores por curso. É o caso dos cursos de zootecnia, ciências sociais e gestão ambiental, que vão receber seis professores cada. Para engenharia de produção, engenharia de alimentos e química, serão disponibilizadas cinco vagas. O curso de licenciatura indígena terá uma vaga para professor efetivo.

Ainda esse ano, novo edital vai ser autorizado pelo MEC (Ministério da Educação) para contratação de mais 80 professores. A previsão é que esses docentes sejam efetivados no segundo semestre.

A previsão é de que até o final do ano o quadro de docentes para cada curso ficará definido da seguinte forma: medicina terá o maior número de professores efetivos (41), seguido por agronomia (28), letras (23), pedagogia (21), biologia (19), direito (17), matemática, geografia e história (14), análise de sistemas, administração e ciências contábeis (11), zootecnia, gestão ambiental e ciências sociais (8), engenharia de produção, engenharia de alimentos e química (7) e licenciatura indígena (1).



SIGA-NOS NO Google News