Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sexta, 21 de Junho de 2024
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Receita Federal passa a monitorar aviões suspeitos de transportarem contrabando

Welton Máximo, Agência brasil - 09 de novembro de 2012 - 16:56

Brasília – A Receita Federal e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) terão reforço de vigilância aérea para combater a entrada de mercadorias irregulares no país. A Força Aérea Brasileira (FAB) passou a atuar em parceria com os dois órgãos para prevenir o contrabando. A primeira operação conjunta, deflagrada esta semana, resultou em nove prisões, na apreensão de um o avião,, armas, dinheiro e produtos eletrônicos avaliados em US$ 105 mil.

A fiscalização abordava aeronaves apenas baseada em investigações anteriores e em informações de inteligência. Agora, a FAB mobilizará automaticamente a Receita e a PRF quando detectar aviões que entrarem no país sem plano de voo e que não façam comunicação com os órgãos de controle do espaço aéreo.

Segundo o subsecretário de Aduana e Relações Internacionais da Receita Federal, Ernani Checcucci, a troca de informações entre a FAB e o Fisco passará a ser regular. “A iniciativa de procurar a FAB foi da Receita e nasceu da própria dinâmica e do aperfeiçoamento do trabalho de fiscalização. A ideia é tornar permanente a troca de informações sobre aviões clandestinos”, disse.

A primeira operação contou com dois helicópteros da PRF e um da Receita Federal, que abordaram as aeronaves com base nas informações repassadas pela Força Aérea. Na quarta-feira (7), os agentes avistaram um avião pousando em uma pista clandestina na região de Lençóis Paulista (SP). Ao chegar ao local, a fiscalização apreenderam US$ 105 mil em mercadorias eletrônicas em um furgão que deixava a pista. Duas pessoas foram presas, mas o piloto que trouxe a mercadoria em um avião conseguiu escapar levantando voo antes da chegada dos policiais.

A segunda apreensão ocorreu ontem (8) à tarde, quando a Receita e a Polícia Rodoviária Federal receberam nova informação sobre pouso clandestino em Barretos (SP). Ao se aproximar do local, o helicóptero da Polícia Rodoviária foi recebido com tiros por contrabandistas que aguardavam a aterrissagem do avião. Do helicóptero, os agentes dispararam e acertaram o agressor na perna.

De acordo com a Receita, o suspeito foi levado para o hospital, onde teve voz de prisão decretada e não corre risco de morte. Mais quatro pessoas que aguardavam também foram presas. Os suspeitos portavam armas, munições, equipamentos de rádio e US$ 5.379 e R$ 3.898 em espécie. Todo o material foi apreendido.

O avião que pousaria no local arremeteu e, segundo a Receita, tentou voltar para o Paraguai. No meio do caminho, teve pane seca e caiu em uma área de difícil acesso em Altônia (PR). A identificação da aeronave foi possível porque um dos helicópteros seguiu o avião até a queda. Os dois ocupantes só foram encontrados por volta das 23h50, escondidos na mata, e foram encaminhados para a delegacia da Polícia Federal em Guaíra (PR). A aeronave também estava carregada com produtos eletrônicos, mas o valor ainda não foi levantado.

Nos dois casos, a Receita acredita que as mercadorias serão vendidas na região metropolitana de São Paulo. Na avaliação do subsecretário da Receita, a eficiência da fiscalização por terra tem levado os contrabandistas a buscar outras formas de transporte, principalmente depois do lançamento do Plano Estratégico de Fronteira, no ano passado. \"O próprio fortalecimento da fiscalização em terra tem levado a outras formas de contrabando, inclusive por aeronaves\", declarou Checcucci.


Edição: Aécio Amado

SIGA-NOS NO Google News