Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sexta, 19 de Agosto de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Pecuarista cai em golpe e perde quase meio milhão ao negociar 130 cabeças de gado em MS

Renan Nucci, Midiamax - 25 de junho de 2022 - 17:29

Pecuarista ficou no prejuízo

Pecuarista ficou no prejuízo. Foto: Marcos Ermínio

Pecuarista de 57 anos foi vítima de estelionato e teve prejuízo de R$ 448 mil ao negociar 130 cabeças de gado na região de Camapuã. O golpe foi parecido com o famoso golpe aplicado durante as vendas de carro pela internet, que contam com a participação de um intermediário que fecha acordo com os dois lados, mas que some ao receber o pagamento.

Conforme boletim de ocorrência, a vítima disse que abriu negociação com um proprietário dos animais. Este suposto proprietário, repassou a responsabilidade das negociações para intermediários. O pecuarista conversou com terceiros, avaliou os animais e chegou a ir até a fazenda onde o gado estava para fazer a contagem. Segundo ele, o negócio era atrativo.

O pecuarista disse que fez todos os trâmites legais para confirmar a compra, forneceu sua inscrição estadual, obteve autorização para guia de trânsito e nota fiscal e chegou a estar presencialmente com os envolvidos na negociação. Tirou fotos do gado, fez a pesagem e conseguiu até mesmo autorização para a marcação. Em seguida, fez o pagamento.

Ocorre que, após transferir os valores, o pecuarista tentou retirar os animais e levar para a sua propriedade, quando descobriu que, na verdade, o suposto proprietário era um intermediário que havia se metido no esquema e que um dos supostos intermediários era o real proprietário. O real proprietário se recusou a liberar os animais por falta de pagamento.

Disse que não havia recebido os valores acertados na negociação e que não autorizaria a saída. A vítima então descobriu que pagou R$ 448 mil para terceiros e que ficou sem os animais. Desta forma, procurou a Polícia Civil e registrou boletim de ocorrência de estelionato. Os nomes foram preservados, pois as investigações estão em andamento.

SIGA-NOS NO Google News