Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Terça, 21 de Setembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Cassilândia: Maria Sobrinho faz homenagem a da. Jandira

Maria Sobrinho - 05 de março de 2009 - 09:44

COMBATI O BOM COMBATE, TERMINEI A CARREIRA, GUARDEI A FÉ... (II TIMÓTEO 4:7)

Este é um testemunho do apóstolo Paulo que, se não compreendido, para muitos conduz a um desânimo total, mas para a Dona Jandira era adequadamente entendido revelava a história de vida dela tanto a passada, a presente, e a futura, como uma verdadeira crista, e filha de Deus. De fato, fazendo uma análise da história da vida dela realmente era uma cristã verdadeira, seja nos exemplos, no dia-a-dia, a gente podia ver que não cessava de combater, de lutar. Ela observava com muito temor o que o apóstolo, Paulo exortou, quando o mesmo referiu ao seu combati o bom combati,ele falou no passado - Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé (2 Timóteo 4:7) -. Tudo no tempo passado do verbo.

Isso evidencia a mais não poder, que desde o primeiro, até o último dia do fim da carreira terrestre da nossa querida amiga e mãe, ela se preparou para COMBATER O BOM COMBATE.

Provavelmente durante o seu viver, não teve mais do que momentos, ou períodos de tempo em que podia sair do sufoco do dia-a-dia, para certo alívio na respiração, uma recuperação de fôlego, um reabastecimento energético, e logo retomar o COMBATE. Combater sempre. Desde que ela levantava, durante os momentos da labuta diária, e até quando ia ao descanso noturno. Mas mesmo assim, , até enquanto dormia ou sonhava, continuava COMBATENDO O BOM COMBATE. Nada podia ser mais importante para ela aqui na Terra, do que cumprir cabalmente a sua carreira. Ela procurava com zelo fazer cumprir o plano de Deus na sua vida, ela dizia tudo um dia vai acabar com um sopro. Somente a nossa carreira cumprida será lembrada na eternidade. Tudo vai passar; só não vai passar aquilo que for construído em prol de vidas. Ainda que construa um império, ou conquistemos poder, riquezas sem fim... Tudo passa, e permanecerá apenas o que construímos na eternidade.

Quantas saudades da dona Jandira. No dia 22 de dezembro 2008, exatamente 10 horas e vinte e três minutos, ela nos deixou terminou a carreira terrestre, ela era uma pessoa especial, quem a conhecia sabe era Irma, amiga e Mãe exemplar lutadora, determinada, incansável, carinhosa, alegre, companheira, amiga, sempre disposta a ajudar as pessoas. As lembranças dos bons momentos serão eternas, da minha infância ate a presente data a nossa convivência era diária. Nossas famílias, na verdade era como se fosse uma só. E nosso amor por ela sempre foi especial, considerava dona Jandira como minha segunda MAE. Mesmo nos momentos mais difíceis da sua vida ela foi um exemplo de coragem, esperança, alegria, otimismo, de fé e de amor.

Não poderia deixar de falar sobre as palavras do Pastor Celestino, na cerimônia fúnebre, que tanto nos tocaram na despedida da nossa querida, mas muito querida e especial Amiga. Ele conseguiu retratar em detalhes, o temor que ela demonstrava a Deus, o carinho que demonstrava para com as pessoas, e o cuidado que tinha com família. E da incansável vontade de falar de Jesus para as pessoas, de visitar os doentes, orava sem cessar pela a família, tinha os joelhos calejados devido às longas horas de oração e interseção. Louvamos a Deus por pessoas que ajudaram a mudar a história de muitas outras, e em se tratando de mulheres especiais, está certamente tem um lugar especial no coração de muitos. Que o nosso Senhor conforte sua família, mas saibam que Deus recolheu a jóia que vocês e nos tivemos o privilégio de ter por um determinado tempo. Ela deixou a todos nos um legado, e escreveu seu nome no livro da vida com letras de ouro, quando imprimiu sua marca na vida de muitos.

Que possamos como ela, dizer: COMBATI O BOM COMBATE, TERMINEI A CARREIRA, GUARDEI A FÉ... Maria sobrinho


SIGA-NOS NO Google News