Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Domingo, 19 de Maio de 2024
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

20 termos, práticas e acessórios bizarros que você nem imagina que existiam

180 Graus - 17 de abril de 2016 - 07:00

O universo dos fetiches e práticas sexuais é muito mais extenso do que se imagina – afinal, para o prazer e imaginação, não há limites. As pessoas desenvolvem as mais excêntricas taras, sendo que algumas acabam se tornando surpreendentemente populares. É o caso, por exemplo, da “chuva dourada”, prática muito conhecida no meio fetichista e fora dele também, que se baseia no prazer obtido através do contato com a urina (própria ou do parceiro) durante a relação sexual.

Mas nem só os fetiches causam estranheza no público “conservador”. Terminologias esquisitas para designar técnicas e acessórios eróticos podem soar bizarras e até ilícitas, mas, em muitos casos, não passam de denominações diferentes para descrever atos comuns (como passar a mão no bumbum do parceiro ou parceira, por exemplo).

A lista abaixo foi elaborada com base no livro “ABC Erótico – O Dicionário do Sexo”, de Paula Aguiar, presidente da Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme). Ela reúne fetiches pouco conhecidos, práticas controversas e termos curiosos do universo erótico:

Adstringopenispetrafilia – fetiche por amarrar pedras ao pênis.

Morte autoerótica – prática que consiste na privação de oxigênio para potencializar o orgasmo obtido pela masturbação. Asfixia erótica é o estrangulamento do parceiro durante o clímax.

Bukkake – modalidade de sexo grupal que consiste em uma pessoa “recebendo” a ejaculação de diversos homens.

Camisa de vênus – apenas outro nome para a camisinha.

Candaulesismo – consiste em exibir ou realçar os atrativos sexuais da companheira com o objetivo de provocar em outros homens excitação ou desejo sexual por ela.

Catena – tipo de sexo grupal, comum no Império Romano, em que cada participante pratica um ato sexual com outros dois, de modo a formar uma espécie de corrente. Por exemplo: um homem recebe sexo oral enquanto pratica cunilíngua em uma mulher, que, por sua vez, copula com outra, que pratica felação em outro homem e assim por diante.

Coprofagia – fetiche pela ingestão de fezes. Já a coprofilia é o fetiche pela manipulação de fezes, próprias ou do parceiro,

Corpopraxia – ânsia de exibir as nádegas ou ânus.

Banho romano – ato de vomitar para provocar excitação.

Fisting – prazer com a inserção da mão ou antebraço na vagina ou ânus.

Ligerastia – situação em que a pessoa só se excita sexualmente no escuro.

Menofagia – fetichismo caracterizado pela ingestão de sangue menstrual ou desejo de praticar sexo oral em mulher menstruada. A menofilia é a excitação por mulheres menstruadas.

Merkin – peruca genital feminina, que pode tanto substituir pelos ausentes como cobrir os existentes com pelos de outra cor.

Misogamia – aversão ao casamento.

Pigotripsia – é o simples ato de passar a mão no traseiro de alguém. A pigofilia é a excitação sexual através do contato com as nádegas.

Pogonofilia – fetiche por barba.

Posludio – aconchego dos parceiros após o ato sexual.

Predatismo sexual – impulso por seduzir estranhos em situações ou lugares supostamente desprovidos de atmosfera erótica, como filas de banco, transportes coletivos, supermercados, etc.

Pseudolismo – orgasmo atingido por meio de atos sexuais imaginários.

Voyeurismo – prática de observar pessoas despidas ou durante atos sexuais sem consentimento para obter prazer.

SIGA-NOS NO Google News