Cassilândia, Sábado, 23 de Setembro de 2017

Últimas Notícias

24/08/2007 05:34

TJ concede perdão a pai condenado por morte de filho

TJGO

Em decisão tomada ontem (23), a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), seguindo voto do desembargador Benedito do Prado, reformou decisão do juízo de Aurilândia e concedeu perdão judicial a José Augusto Caires, condenado por homicídio culposo pela morte de seu único filho durante um acidente de carro. Na época, ele foi condenado a 4 anos e 8 meses de detenção, em regime aberto. No entanto, teve a pena substituída por prestação serviços à comunidade junto à entidade pública ou filantrópica. Também ficou determinado que José Augusto não poderia andar armado nem ingerir bebida alcoólica ou freqüentar lugares de reputação duvidosa. Segundo os autos, o apelante foi denunciado pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) por homicídio culposo por ter causado a morte de seu filho Thalis Augusto Batista Caires ao capotar seu veículo, enquanto trafegava, em velocidade inadequada, por uma estrada não asfaltada.

Para Prado, em crimes dessa natureza presume-se que o ser humano sinta a perda de um ente querido e até mesmo culpa por causá-la, sem contudo demonstrá-la. Porém, a seu ver, esse fato não significa que essa pessoa seja desprovida de sentimentos ou que para mostrá-los necessite comprovar seqüelas psicológicas ou saúde emocional comprometida, como exigiu o juízo de 1º grau. De acordo com ele, o pai que provoca a morte do único filho num acidente, por imprudência, já teve punição mais severa. "Não há dúvida de que o apelante tenha sofrido com a morte de seu filho até porque na época, era seu filho único, sendo duramente atingido com as conseqüências do homicídio culposo. Por essa razão, a imposição da pena que lhe foi imposta é desnecessária e inconveniente", ponderou.


Ementa

A ementa recebeu a seguinte redação: "Apelação Criminal. Homicídio Culposo. Perdão Judicial. 1 - Concede-se perdão judicial ao apelante, por ter provocado a morte do único filho em acidente, fruto de imprudência, porquanto sofreu punição mais severa. Recurso conhecido e provido". Apelação Criminal nº 31.443-9/213 (200702051254), de Aurilândia. (Myrelle Motta)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 22 de Setembro de 2017
Quinta, 21 de Setembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)