Cassilândia, Quinta-feira, 24 de Maio de 2018

Últimas Notícias

18/04/2006 22:14

Thomaz Bastos vai à Câmara na quinta-feira

Agência Câmara

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), deputado Sigmaringa Seixas (PT-DF), informou hoje que o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, comparecerá à comissão nesta quinta-feira (20), às 10 horas. Ele irá esclarecer sua suposta participação no episódio da quebra de sigilo do caseiro Francenildo Costa pela Caixa Econômica Federal. Sigmaringa destacou que foi o próprio ministro quem ligou dispondo-se, espontaneamente, a comparecer à CCJ.
Na avaliação do deputado, a comissão é o local mais apropriado para Bastos prestar esclarecimentos sobre o episódio que culminou com a queda do ministro Antonio Palocci. "Na CCJ, o debate poderá se dar com maior precisão, sem muitas interferências. O ministro poderá falar com clareza sobre tudo que ele sabe", afirmou. Segundo Sigmaringa, qualquer deputado - integrante ou não da comissão - poderá fazer perguntas, embora a prioridade seja para os membros da CCJ.
O líder do PPS, deputado Fernando Coruja (SC), lembrou que há dois requerimentos do seu partido, um apresentado ao Plenário e outro à CCJ, convocando o ministro. Segundo Sigmaringa Seixas, a votação desses requerimentos está suspensa e, caso os deputados não se sintam satisfeitos com os esclarecimentos do ministro, a comissão poderá votar a convocação de Thomaz Bastos.

Depoimento em plenário
Sobre a possibilidade de realização do depoimento em plenário, como quer o PPS, o presidente Aldo Rebelo assinalou que a CCJ é um lugar adequado, assim como o plenário. O presidente negou que haja divergências entre a Câmara e o Senado sobre o assunto. "Não há divergência e, se houver, é da democracia. A Câmara e o Senado não têm de estar de acordo sobre tudo", disse.
Ele também negou divergências com o presidente do Senado, Renan Calheiros. "O presidente Renan Calheiros e eu temos uma trajetória de mais de 30 anos de convivência, de compreensão e de harmonia."

OAB
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato, defendeu a vinda de Thomaz Bastos ao Congresso. A imprensa publicou que o ministro teria atuado como um advogado informal do ex-ministro Antonio Palocci. De acordo com Busato, por ocupar o cargo de ministro, Thomaz Bastos está impedido de exercer a advocacia. "Ele está incompatibilizado com a advocacia, portanto, seria exercício irregular da profissão da qual ele está impedido de fazê-lo. Não é um caso de infração ética e disciplinar tendo em vista que ele está afastado das funções de advogado".

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 24 de Maio de 2018
Quarta, 23 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)