Cassilândia, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

Últimas Notícias

10/09/2013 19:01

Super safra reduz preço do milho e pode afetar próximo plantio

Lidiane Kober, Campo Grande News

Graças a investimentos em tecnologia, a safra de milho bateu recorde no Brasil e em Mato Grosso do Sul. De acordo com levantamento da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a produção da segunda colheita do ano no Estado deverá ser 21,8% superior a do ano passado. O problema é que, ao contrário de 2012, os Estados Unidos também terão uma super safra, o que reduzirá a lucratividade do grão, comprometendo investimentos para a próxima colheita.

Ainda de acordo com a Conab, até agora, 78% da safra do milho foi colhida em Mato Grosso do Sul. Neste ano, a previsão é colher 7,4 mil toneladas contra 6,1 mil toneladas, em 2012, um incremento de 21,8%. No país, a expectativa é encerrar a safra com produção de 46,1 mil toneladas, 18,1% a mais que no ano passado.

Corretor de grãos da Cooperativa Agrícola Mista Serra de Maracaju, Valter Dias atribuiu o recorde histórico aos “investimentos em tecnologia”. “Os produtores investiram em melhores sementes, em adubação e inseticidas”, destacou. “Claro que o clima também ajudou”, emendou.

Apesar da super safra, ele relatou que o clima é de incerteza entre os produtores. “Há uma preocupação com o preço”, explicou. O temor gira, principalmente, pelo fato de os Estados Unidos, maior produtor mundial de milho, também estimar recorde na produção. “No ano passado, o país enfrentou a pior seca, registrada nos últimos 50 anos, e isso elevou o preço do grão e a lucratividade do produtor brasileiro”, comentou Dias.

Segundo ele, em 2012, a saca de milho foi comercializada, em média por R$ 23, R$ 8 a menos do que o atual preço de R$ 15. “Se abaixar mais que isso, a super safra não irá compensar o investimento e, no próximo ano, não será possível usar a tecnologia para melhorar a safra”, ponderou.

Agora, de acordo com Dias, a torcida é para o preço não baixar e pela alta do dólar. “Recentemente, o moeda estava no patamar de R$ 2,40, mas baixou para R$ 2,28, se voltar a subir, poderemos recuperar o preço e garantir a lucratividade da safra”, concluiu.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 18 de Janeiro de 2017
Terça, 17 de Janeiro de 2017
23:53
Loteria
10:00
Receita do dia
Segunda, 16 de Janeiro de 2017
10:04
Coluna da juíza Luciane Buriasco Isquerdo
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)