Cassilândia, Domingo, 20 de Maio de 2018

Últimas Notícias

01/07/2016 06:15

Senado paraguaio descarta intervenção militar para combater violência

Campo Grande News

Em votação nesta quinta-feira (30), o Senado do Paraguai decidiu descartar a intervenção militar no Departamento de Amambay, na fronteira com o Brasil. A possibilidade foi levada à pauta com o intuito de conter a guerra entre criminosos, intensificada com a execução do chefe do narcotráfico na região, Jorge Rafaat Toumani, no dia 15 deste mês

A proposta para declarar estado de exceção em Amambay, cuja capital é Pedro Juan Caballero, onde Rafaat foi morto a tiros de metralhadora antiaérea calibre 50, recebeu parecer contrário da Comissão dos Assuntos Constitucionais do Senado da República do Paraguai.

Durante a discussão do tema, o presidente da Comissão dos Assuntos Constitucionais do Senado, Fernando Lugo, afirmou que o presidente do Paraguai Horácio Cartes se beneficiou das modificações da lei de Defesa Nacional de Segurança Interna, desde o início de seu mandato para enfrentar os grupos criminais.

Segundo informações do site Última Hora, há uma lei sancionada em 2013 que autoriza o uso das forças armadas para atuarem em conflitos internos que ocorram nos estados de San Pedro, Concepción e Amambay, sem a necessidade de declarar estado de emergência.

Os senadores Miguel Abdon Saguier e Fernando Silva Facetti, ambos do Partido Liberal, se referiram a necessidade de aprovar a ferramenta constitucional devido a comoção que se formou em Pedro Juan Caballero. Segundo eles, "a paz deve ser restaurado nessa área que agora " é uma terra de bandidos, criminosos e assassinos" .

"É um dever evitar que Amambay se torne um Estado falido e só pode ser definida com o uso de armas e força", disse Silva Facetti . Além disso, acrescentou que no local até os próprios promotores têm medo .

Pode piorar – Diversos setores do governo e das próprias forças armadas apontam que a intervenção militar iria piorar a situação em Amambay, principalmente para os moradores, já que poderia iniciar uma guerra entre o Estado e os traficantes.

Além disso, a situação poderia afetar ainda mais o comércio em Pedro Juan Caballero, que já sofre com a queda nas vendas em função do dólar alto no Brasil e também por causa dos atos de violência no lado paraguaio.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 20 de Maio de 2018
Sábado, 19 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)