Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

03/06/2009 05:37

São Paulo responde a FIFA, em nota oficial

SPFC

Acerca das matérias "FIFA exige mudanças no projeto do Morumbi" e "Abertura fora de medida" publicadas nas edições de 1º de junho e 2 de junho de 2009 do Jornal "O Globo", o São Paulo Futebol Clube vem a público prestar os seguintes esclarecimentos:

As reportagens assinadas pelo Jornalista Jorge Luiz Rodrigues representam uma série de lamentáveis equívocos. As supostas críticas ao Projeto estariam baseadas em dados, informações técnicas e números absolutamente diferentes daqueles que constam no real conteúdo do Projeto de Reforma do Estádio do Morumbi que Comitê Paulista para a Copa do Mundo de 2014, formado por entes do Governo do Estado e da Prefeitura de São Paulo, enviou à FIFA em 15 de janeiro de 2009. Senão vejamos

Não é verdade que o Projeto do Estádio do Morumbi reduziria a capacidade do Estádio do Morumbi para "pouco mais de 46 mil torcedores". O Estádio do Morumbi conta hoje com 68 mil lugares. Mesmo com todas as adaptações voltadas ao atendimento das exigências da FIFA, em especial as tribunas de imprensa, áreas VIPs e estúdios de imprensa, o Estádio do Morumbi ainda contará com capacidade para 62 mil pessoas pagantes. Esse dado consta do gráfico nº 131 do Projeto Básico.


Não é verdade que possa haver qualquer tipo de ressalva com relação à "distância entre a parada dos ônibus das delegações e os vestiários". Já atualmente, o Estádio do Morumbi conta saguão amplo para permitir que os ônibus das delegações sejam estacionados na área interna do Estádio, permitindo o desembarque exatamente em frente ao acesso aos vestiários. O Projeto preserva tal condição, como aponta o desenho 5.03 do seu Anexo 5.


Não é verdade que esteja previsto "número insuficiente de estúdios de TV". O Projeto básico de reformas do Estádio do Morumbi prevê a disponibilização de 11 estúdios de TV, dos quais 4 terão vista para o gramado, conforme está presente no gráfico nº 5.03 do Anexo 5 do Projeto já apresentado. Portanto, o Projeto atende com sobras a exigência para a construção de estúdios de TV.


Não é verdade que haja previsão de "zona mista de entrevista inferior a 600 m quadrados". O Projeto do Estádio do Morumbi prevê a criação de uma zona mista de entrevistas que tem, exatamente, os 600 m2 exigidos pela FIFA, conforme está descrito no item 25.03 do Anexo 5 do Projeto.

Não é verdade que a área destinada às Unidades Móveis de TV - "TV Compound" - estaria "prevista para ficar a cerca de um quilômetro do estádio, quando a FIFA exige a, no máximo, 100 m". Primeiramente, o Caderno de Encargos da FIFA não prevê a distância mínima entre as unidades móveis e o Estádio. A distância prevista pelo Projeto de Reforma do Estádio do Morumbi é de 325m, conforme consta do item 5.01 do Anexo 5 do Projeto. O São Paulo Futebol Clube contou com a prestigiosa colaboração de técnicos da TV Globo para definir o local de acomodação das unidades móveis e o ponto escolhido foi aprovado por tais profissionais especializados e experientes na cobertura de eventos esportivos.

É de se estranhar, neste momento, a divulgação de tantos dados imprecisos sobre o Projeto do Morumbi, que não encontram respaldo em qualquer informação que tenha sido enviada pela Candidatura Paulista à FIFA. Importante mencionar, nesse ponto, que, até o presente momento, não foi realizada qualquer visita técnica da FIFA ao Estádio do Morumbi, seja para verificação das condições atuais, seja para avaliação in loco das adequações de que o Estádio necessita para realização da Copa do Mundo de 2014.

Vale mencionar que, antes da publicação das reportagens em referência, o Jornalista Jorge Luiz Rodrigues não tomou a precaução de confirmar, junto ao São Paulo Futebol Clube ou outro representante da Candidatura Paulista, os dados e informações que supostamente recebera e mencionou nas suas matérias.

No momento em que a imprensa divulga a exaustão desenhos fantásticos, esboços de alta complexidade e maquetes futuristas dos projetos dos estádios que pretendem receber a Copa de 2014, a Candidatura Paulista oferece ao Brasil a alternativa de um projeto concreto,que visa adaptar a estrutura já existente de um Estádio já em pleno funcionamento, que recebe os maiores eventos esportivos realizados no País e gera receitas, a partir de um plano de reformas que também é concreto e absolutamente viável.

O que não se pode admitir é que dados inverídicos contaminem o debate, com vistas a atender interesses subalternos de grupos interessados na realização de bons negócios relacionados à construção de novas arenas por oportunidade da realização da Copa do Mundo.

Até porque, para bem avaliar os recursos necessários para a construção de uma nova arena, é fundamental considerar os gastos necessários para prover a estrutura que deve estar no seu entorno. O Estádio do Morumbi conta, num raio de 10 km, com ao menos 5 (cinco) hospitais de primeira classe, com destaque para o Albert Einstein e o São Luiz, toda a rede hoteleira da região da Av. Berrini e dos Jardins, inúmeros cinemas, teatros, centros de compras e serviços dos mais diversos. Em 2012, o Metrô chegará à distância de 1.180 m. do Estádio do Morumbi, com a construção da Linha 4 - Amarela.

Construir outra arena em São Paulo significaria altíssimo gasto, inclusive de recursos públicos, voltados à mudança de zoneamento, construção da rede hoteleira, hospitais, transportes e todo o mais. Mais do que a tarefa de encontrar em São Paulo uma área apta a receber a nova arena, seriam necessários bilhões de reais em investimentos para dotar o seu entorno com tudo aquilo que ao redor do Estádio do Morumbi já se verifica em abundância.

O São Paulo Futebol Clube jamais desconheceu ou se furtou à sua responsabilidade pela realização de todas as reformas e adaptações quantas forem necessárias para adequação do Estádio do Morumbi ao que for exigido pela FIFA. Inclusive, para fazer modificações no Projeto caso sejam recomendadas a partir das inspeções que serão realizadas daqui para frente. As reformas do Estádio do Morumbi já estão em curso e o Cronograma de Obras constante nos cadernos enviados à FIFA (fls. 231) prevê sua conclusão para 31 de dezembro de 2012, data que a FIFA exige estejam todos os estádios absolutamente prontos. ´

Todavia, em atenção aos princípios da seriedade e da responsabilidade que norteiam a Candidatura Paulista desde a sua postulação, é de rigor que as condutas sejam medidas com cautela e com a seriedade que o momento requer, o que, infelizmente, não é o que se depreende da reportagem do Jornalista Jorge Luiz Rodrigues.

RUY OHTAKE
Arquiteto responsável pelo Projeto
de Reforma do Estádio do Morumbi
para a Copa de 2014


SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)