Cassilândia, Terça-feira, 23 de Outubro de 2018

Últimas Notícias

11/08/2018 06:15

Responsável pelo menor que não for vacinado poderá perder a guarda

O Rotary é uma comunidade internacional que reúne líderes para superar grandes desafios, local e globalmente. A erradicação da pólio constitui uma das iniciativas mais longas e importantes da nossa trajetória.

Redação
Quem não levar o filho para vacina poderá até perder a guarda. Os agentes de saúde podem denunciar pais omissos. A responsabilidade é de todos. Enquanto persistir um caso no mundo a doença não estará erradicada. Quem não levar o filho para vacina poderá até perder a guarda. Os agentes de saúde podem denunciar pais omissos. A responsabilidade é de todos. Enquanto persistir um caso no mundo a doença não estará erradicada.

O Rotary Internacional está nesta luta de erradicação da paralisia infantil desde 1979. Conheça um pouco desta história.

Em 29 de setembro de 1979, rotarianos e representantes do Ministério da Saúde das Filipinas acompanharam voluntários durante a vacinação de crianças contra a paralisia infantil em Manila.

Ao pingar as primeiras gotas da vacina na boca de uma criança, James Bomar Jr., então presidente do Rotary, lançou oficialmente um projeto para imunizar as crianças das Filipinas contra a poliomielite, dando também início ao primeiro Subsídio 3H. Ele e o ministro da saúde, Enrique Garci, assinaram um acordo no qual o Rotary International e o governo filipino se comprometeram a imunizar cerca de seis milhões de crianças contra a pólio durante vários anos, a um custo de US$760.000.

O sucesso deste projeto abriu caminho para a nossa maior prioridade: a erradicação global da pólio. Como resultado do nosso empenho e dedicação ao longo dos anos, mais de 2,5 bilhões de crianças foram vacinadas. Desde o lançamento da campanha Pólio Plus, em 1985, houve uma queda de 99,9% no número de casos da doença em todo o mundo.

E atenção para o alerta:

Embora muitos desconheçam, a vacinação das crianças, nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias, é obrigatória. Os pais ou responsáveis que deixarem de vacinar os filhos podem pagar multa e até perderem a guarda das crianças, além serem processados por negligência, caso o filho venha adoecer da moléstia para a qual não tiver sido imunizado.

As determinações e consequências estão previstas em leis, entre elas o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 23 de Outubro de 2018
10:00
Receita do dia
09:00
Santo do Dia
Segunda, 22 de Outubro de 2018
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do dia
09:00
Santo do Dia
Domingo, 21 de Outubro de 2018
11:00
Mundo Fitness
09:00
Santo do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)