Cassilândia, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Últimas Notícias

24/10/2007 06:44

Relatora da CPMF no Senado confirma parecer contrário

Antonio Arrais/ABr

Brasília - A senadora Kátia Abreu (DEM-TO) confirmou ontem (23) que apresentará parecer contrário à proposta de emenda à Constituição que prorroga até 2011 a Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira (CPMF). "O governo não precisa desse imposto e deve devolver esses R$ 40 bilhões [valor anual da arrecadação da CPMF] para o bolso do cidadão", afirmou em entrevista com a participação do presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, Marco Maciel (DEM-PE).

Kátia Abreu, cujo partido fechou questão contra a CPMF, disse que "é uma medida eleitoreira" a proposta de isentar uma faixa de contribuintes com movimentações mensais de até R$ 1.700. Segundo ela, "quando esse mesmo cidadão, que o
governo pretende isentar, vai pagar o pão, o feijão, o arroz, ou qualquer outro produto de consumo, ele vai pagar a CPMF embutida nesses produtos".

A senadora afirmou que o governo não pode mais usar o argumento de que a CPMF terá parte destinada à saúde. "Desde a votação da emenda constitucional 29, existem recursos orçamentários comprometidos diretamente para a saúde, calculados sobre a receita orçamentária e o resultado do Produto Interno Bruto (PIB)", disse.

Kátia Abreu disse que sua posição "não é uma questão pessoal, mas partidária".

Questionada sobre a necessidade de realização de audiências públicas (que, uma vez aprovadas e realizadas, poderão protelar os prazos regimentais de votação da PEC da CPMF na CCJ e no plenário do Senado), uma vez que já tinha uma posição tomada de rejeição da prorrogação do chamado "imposto do cheque", a senadora afirmou que pretende "convencer os demais colegas do erro da prorrogação da CPMF, ouvindo autoridades e especialistas no assunto".

A relatora disse que "o governo teve um aumento de receitas de 13% e que o país atingiu um PIB de 4,5% em 2007, mas em compensação os gastos públicos do governo tiveram um aumento de 9,2%. O que precisamos é cortar a carga tributária e os gastos públicos e devolver para o bolso do cidadão esses R$ 40 bilhões arrecadados todo ano pela CPMF".






Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 22 de Maio de 2018
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)