Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

12/04/2004 16:57

Relator vai mudar regras de teto e subteto da Previdênci

Iolando Lourenço/ABr

O relator da emenda paralela da reforma Previdência Social, deputado José Pimentel (PT-CE), deixou claro, hoje, que o seu relatório modificará as regras aprovadas pelo Senado relativas ao teto e subtetos salariais dos servidores públicos federais, estaduais e municipais. "É inaceitável que num prazo de 90 dias a remuneração dos deputados estaduais passe de R$ 9.600,00 para R$ 17.225,00 e, também, que no mesmo prazo as 5.561 Câmaras Municipais tenham suas remunerações reajustadas", afirmou o parlamentar.

Pimentel disse, ainda, que não há como aprovar, sem alterações, a PEC paralela. O texto foi fruto de um acordo que retirou da reforma da Previdência pontos polêmicos como teto e subteto dos servidores públicos, paridade, regras de transição e a contribuição de inativos, entre outros.
"Não mexer no acordo é fazer o que a sociedade brasileira não aceita", afirmou o relator.

Para o líder do PT na Câmara, Arlindo Chinaglia (SP), alguns itens do acordo feito no Senado não devem ser mantidos pela Câmara. Citou, por exemplo, as regras para o subteto dos salários dos servidores públicos estaduais e municipais. "Até porque um dos elementos centrais da reforma da Previdência é acabar com as aposentadorias milionárias e, disso, seguramente
a bancada do PT não abrirá mão", ressaltou.

Da tribuna do Senado, o primeiro vice-presidente da Casa, Paulo Paim (PT-RS), cobrou hoje dos deputados da base aliada pressa na votação da PEC paralela. Paim disse ter conversado na semana passada com o ministro chefe da Casa Civil da Presidência, José Dirceu, sobre o assunto. Segundo o senador, o ministro garantiu que "no que depender dele a PEC paralela vai
ser aprovada".

Paim não vê problemas em eventuais mudanças que sejam feitas pelo relator nas regras do teto e do subteto. "Se o José Pimentel quiser alterar estas regras não há problema, desde que a Câmara vote e promulgue o resto da PEC paralela", disse o senador. Acrescentou que o importante é manter os dispositivos aprovados no Senado sobre paridade, regras de transição e
contribuição de inativos, entre outros.

O primeiro vice-presidente do Senado acredita no empenho do governo federal para que o texto da PEC paralela seja preservado ao máximo pelos deputados, cumprindo acordo firmado com senadores da base aliada e da oposição. "Não me sentiria à vontade de acompanhar novas votações do governo sem o cumprimento deste acordo", afirmou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)