Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

24/12/2003 07:40

Presidente do STJ nega pedido para afastar prefeito

Elaine Rocha/STJ

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Nilson Naves, acaba de rejeitar o pedido da Câmara Municipal de Anápolis (GO) contra liminar concedida ao prefeito daquela cidade, Ernani José de Paula. O prefeito teve seu mandato cassado pela Câmara Municipal, mas a liminar, deferida pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), autorizou seu retorno ao cargo.

O mandato do prefeito foi cassado pela Câmara após investigações feitas por uma Comissão Especial da Casa que apontaram irregularidades quanto à aplicação de verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério – Fundef.

Segundo a Câmara, as investigações concluíram pelo desvio de finalidade na utilização dos recursos da educação (Fundef), além da não aplicação do mínimo de 25% dos recursos na mesma área (educação). A apuração da Câmara também concluiu pelo desvio de finalidade dos recursos destinados à saúde. Diante dos fatos apurados, a Câmara concluiu que o prefeito teria executado atos de improbidade administrativa e cassou o mandato de Ernani José de Paula.

O prefeito contestou a decisão da Câmara com uma reclamação (tipo de processo) encaminhada ao Tribunal de Justiça estadual. Segundo o chefe do Poder Executivo local, a Câmara teria usurpado da competência do Tribunal de Justiça. O TJ-GO deferiu liminar em favor do prefeito para "reconduzir o reclamante ao cargo que ocupava, até que seja definitivamente julgada esta reclamação".

A Câmara Municipal, por sua vez, encaminhou pedido ao STJ para tentar suspender a liminar concedida pelo TJ-GO e, assim, manter o prefeito afastado do cargo. De acordo com a defesa da Câmara, em nenhum momento a Casa teria usurpado da competência do Poder Judiciário daquele Estado.

A defesa também afirmou que o processo, que resultou na cassação do prefeito, teria seguido todos os ditames do Decreto Lei 201/67, e que a punição do dirigente teria sido efetuada pelo único órgão legitimado para isso. A defesa da Casa legislativa alegou ainda que o retorno do prefeito ao cargo causaria grave lesão à ordem administrativa, bem como ao interesse público.

O ministro Nilson Naves negou o pedido mantendo o prefeito no cargo. Para o presidente do STJ, a Câmara "não logrou demonstrar a efetiva lesão que a decisão impugnada (liminar concedida pelo TJ-GO) causaria à ordem pública".

Nilson Naves também destacou a importância da questão "que envolve a liderança do Poder Executivo de uma das mais importantes cidades do Estado de Goiás". Por esse motivo, segundo o ministro, a questão "há de ser examinada com extrema cautela, visto que a decisão a ser tomada poderá representar o término prematuro do mandato eletivo conferido ao Sr. Ernani José de Paula, merecendo, assim, que este exame fique adstrito às vias ordinárias, mesmo que in casu (no caso) estivéssemos cuidando de recondução ao cargo ao bem do interesse público".

O presidente do STJ destacou ainda que "a concessão de sucessivas medidas liminares objetivando ora a manutenção ora a destituição de prefeito no exercício das suas funções acaba por provocar maior instabilidade político-social e descrédito nas instituições".


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)