Cassilândia, Domingo, 27 de Maio de 2018

Últimas Notícias

24/11/2004 14:20

Pobres: Morte e baixo peso dos bebês são mais comuns

Agência Notisa

O Brasil é um país marcado por desigualdades, e essas desigualdades refletem-se, inclusive, na área da saúde. No Rio de Janeiro, por exemplo, a mortalidade de crianças recém-nascidas, assim como o risco de apresentarem baixo peso ao nascer, é maior para aquelas cuja família possui menor renda e baixo nível educacional. Essa é a conclusão de um estudo realizado por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz com 10 mil parturientes de maternidades públicas e particulares do município do Rio.

As parturientes responderam a um inquérito 48 horas antes do parto. De acordo com artigo publicado, em 2004, no suplemento 1 dos Cadernos de Saúde Pública, “foram considerados como desfechos adversos o baixo peso ao nascer (
Os pesquisadores constataram que as probabilidades de mortalidade perinatal e de baixo peso ao nascer foram maiores para as mães analfabetas ou que possuíam apenas o ensino fundamental. Para se ter uma idéia, a diferença relativa entre as taxas obtidas na categoria de menor nível de instrução e as obtidas na de maior nível foi de 64%. “51,05% dos óbitos perinatais poderiam ser evitados se todas as mães tivessem o nível superior de instrução”, ressaltam no artigo.

Em relação à renda do chefe de família, a equipe observou que as diferenças são ainda mais nítidas: “para baixo peso ao nascer, por exemplo, a proporção varia de 10,73%, para a categoria de renda inferior a R$ 200,00, a 5,88% para a categoria de renda superior a R$ 2.000,00. 50% mães mais pobres detêm 64% dos óbitos perinatais, enquanto as 10% mais ricas, somente 2,5% desses óbitos”. Segundo os pesquisadores, cerca de 70% dos óbitos não ocorreriam se todas as mães tivessem o melhor nível de renda.

Por isso, eles alertam para a necessidade de se enfrentar a desigualdade no âmbito da saúde infantil: “não apenas pelo compromisso ético com a maior eqüidade social e econômica, mas, sobretudo, porque é preciso definir claramente estratégias de redução das desigualdades, através de ações objetivas e exeqüíveis em circunstâncias de restrição orçamentária”.


Agência Notisa (jornalismo científico - science journalism)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Maio de 2018
Sábado, 26 de Maio de 2018
14:57
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)