Cassilândia, Domingo, 20 de Maio de 2018

Últimas Notícias

01/05/2006 18:36

Petrobras ainda analisa situação com decreto de Morales

Humberto Marques/Campo Grande News

A direção da Petrobras irá analisar ao lado de autoridades brasileiras as conseqüências para a empresa da nacionalização dos campos de exploração de petróleo e gás natural na Bolívia, anunciada hoje pelo presidente Evo Morales – ao mesmo tempo em que tropas militares e técnicos da YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos, estatal do setor no país vizinho) invadiram instalações petrolíferas pertencentes a indústrias estrangeiras.

Ildo Sauer, diretor de Gás e Energia da Petrobrás, disse à Folha Online que “a medida [tomada pelo governo boliviano] ainda está sendo objeto de exames mais detalhados”. Ainda hoje, a Petrobras deve divulgar nota oficial sobre o assunto. “Estamos todos preocupados em ter uma posição o mais cedo possível, para assegurar os interesses da Petrobras e dos seus acionistas”. Porém, Sauer disse que o contrato da empresa com a YPFB não será afetado pela decisão do governo boliviano, o que afasta o risco de desabastecimento. A questão interessa a Mato Grosso do Sul pelol fato do gás natural importado da Bolívia é uma das principais fontes de ICMS para o tesouro sul-mato-grossense, uma vez que a entrada do Gasbol (Gasoduto Bolívia-Brasil) em território nacional se dá pelo Estado – onde é recolhida a tributação.

Com o decreto assinado por Morales, todas as empresas estrangeiras do setor do gás e petróleo na Bolívia devem entregar as propriedades para a YPFB, que assumirá a comercialização do produto – incluindo as decisões quanto a condições, volume e preços, para o mercado interno e externo. Desde 1996, a Petrobras já investiu US$ 1,5 bilhão na Bolívia, além de US$ 2 bilhões para trazer o gás boliviano para o Brasil. No país vizinho, a empresa brasileira é responsável pelos dois principais campos de gás, já ocupados por militares, além de possuir duas refinarias. A Petrobras responde, hoje, por 15% de todo o PIB (Produto Interno Bruto) da Bolívia.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 20 de Maio de 2018
Sábado, 19 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)