Cassilândia, Domingo, 25 de Junho de 2017

Últimas Notícias

09/08/2015 14:00

Pesquisas revelam que o açafrão ajuda no combate à depressão

Portal Saúde

 

Cobiçada por chefs e degustadores gastronômicos, a cúrcuma — mais conhecida como açafrão-da-índia ou simplesmente açafrão — tem uma função que vai além de colorir e realçar o sabor das refeições. Pesquisa feita na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), em Piracicaba, indica que o consumo do pó amarelo, obtido da raiz de uma planta asiática, é um importante mecanismo para prevenção de um recorrente problema psiquiátrico. “Realizamos durante alguns meses um procedimento com animais e ele se mostrou capaz de reduzir comportamentos semelhantes aos da depressão”, diz a nutricionista Gizele Barankevicz, responsável pelo estudo.

A primeira etapa da pesquisa consistiu em um teste para verificar o potencial antioxidante do açafrão. Já se sabia que o pó amarelado favorece o combate aos radicais livres — responsáveis por desencadear e potencializar doenças ligadas ao envelhecimento. A partir desse resultado, iniciou-se a etapa com animais. Ratos foram submetidos a uma situação de estresse ao longo de seis meses, por meio de natação forçada. As cobaias eram colocadas em um tanque de acrílico, em formato cilíndrico, com água, e tinham que se locomover. A mobilidade variou muito entre os bichos que ingeriam a cúrcuma e os que não.

Segundo Barankevicz, o segundo grupo permaneceu imóvel, com um comportamento típico de deprimidos. No entanto, os ratos que consumiam o açafrão nadaram para tentar se livrar do problema. “Os que não receberam o produto não tinham estímulo de fuga, se tornando imóveis. Esse é um comportamento típico depressivo. Quando são submetidos a situações estressantes, os deprimidos acabam as aceitando porque não têm estímulo. A cúrcuma serviu como um estímulo”, explica a nutricionista.

A pesquisa foi orientada pela professora Jocelem Mastrodi Salgado, do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da USP. Houve parceria com a Faculdade de Odontologia de Piracicaba, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Diante da necessidade de estudar compostos bioativos em alimentos de origem vegetal, o trabalho terá prosseguimento em março. Desta vez, como parte do doutorado de Gizele Barankevicz.

Efeito no fígado
Na nova etapa do estudo, a nutricionista vai avaliar a citotoxicidade do consumo da cúrcuma. Isso porque, toda vez que se trabalha com um alimento ou medicamento, é necessário verificar se ele causa algum efeito colateral no fígado. Segundo Barankevicz, as quantidades usadas nos ratos não trouxeram qualquer sintoma negativo, mas, agora, é preciso analisar uma porção maior, pensando em como ela agiria em humanos. No doutorado, também será estudada a ação de alguns neurotransmissores em cérebros animais. Há pesquisas que indicam que o açafrão tem um efeito neuroprotetor.

Sobre o uso do açafrão em medicamentos, a nutricionista afirma que deve ser tratado no âmbito médico, até porque a linha de pesquisa conduzida por ela é focada nos benefícios que podem ser trazidos pelos alimentos, incluindo a prevenção de doenças. Mas Barankevicz lembra que há estudos envolvendo até o uso de cápsulas de curcumina — feito a partir da cúrcuma — para algumas doenças. Sabe-se que a substância tem, por exemplo, um forte componente anti-inflamatório.

"Quando são submetidos a situações estressantes, os deprimidos acabam as aceitando porque não têm estímulo. A cúrcuma serviu como um estímulo” - Gizele Barankevicz, pesquisadora da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da USP

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 25 de Junho de 2017
Sábado, 24 de Junho de 2017
23:07
Loteria
Sexta, 23 de Junho de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)