Cassilândia, Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020

Últimas Notícias

28/07/2003 15:19

Pesquisadores obtém hidrogênio do álcool de cana

Agência Brasil

Pesquisadores brasileiros concluiram o desenvolvimento de uma célula a combustível que utiliza o álcool da cana-de-açúcar para obter o hidrogênio necessário para a produção de energia elétrica. Com tecnologia totalmente nacional, o equipamento deve ser comercializado a partir de 2005 e coloca o país no rol daqueles que conseguem produzir energia por meio da quebra de moléculas de hidrogênio.
Composta por uma membrana polimérica recoberta por uma camada de carbono, a célula funciona como um catalisador de energia. Ao passarem pela célula, os átomos da molécula de hidrogênio se separam e liberam elétrons. A energia gerada é condicionada para uso em corrente alternada por um dispositivo próprio.
No momento os pesquisadores concluem a construção de um protótipo com 4 m² de área e capaz de gerar energia suficiente para abastecer um prédio de três andares. A grande novidade do equipamento brasileiro é o uso do álcool da cana e a extração do hidrogênio por meio de um reformador, processo térmico que eleva a temperatura do álcool a 350 graus. Nos Estados Unidos, por exemplo, o hidrogênio é extraído do gás natural.
Segundo o engenheiro eletrônico Gilberto Janólio, a célula a combustível está deixando de ser a energia do futuro para se transformar na energia do presente. “Brevemente o hidrogênio será obtido por intermédio de painéis solares”, afirma Janólio, um dos 60 profissionais das várias áreas da engenharia - eletrônica, elétrica, eletroquímica, de materiais e de controle - envolvidos no processo de desenvolvimento da célula.
“No século XX, o petróleo foi a base da atividade industrial, gerando o aumento das emissões de dióxido de carbono. No futuro, o hidrogênio deverá ser usado na geração de energia por meio de micropontos instalados em residências e indústrias”, prevê Janólio.
A Eletrocell, empresa responsável pelo desenvolvimento do projeto da célula combustível brasileira, está incubada no Centro Incubador de Empresas Tecnológicas (Cietec) da Universidade de São Paulo (USP), onde o produto está sendo viabilizado para uso industrial e empresarial. (Com informações da Agência USP de Notícias).

Mauricio Cardoso

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 23 de Setembro de 2020
11:00
Corrida/Nutrição/Fitness
Terça, 22 de Setembro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)