Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

18/05/2006 15:24

Para Petrobras, Bolívia desvaloriza o gás

O diretor-financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, disse nesta quinta-feira que a Bolívia acaba por desvalorizar seu próprio gás com a decisão de nacionalizar as reservas de hidrocarbonetos.

"A medida em que a Bolívia coloca alguma dúvida sobre o suprimento de gás, seu produto perde valor no mercado. A dúvida desvaloriza o produto dela."

Após a Bolívia decretar a nacionalização das reservas e a transferência do controle das empresas do setor para o governo, várias multinacionais afirmaram que deixarão de realizar investimentos no país vizinho.

Sobre as negociações de preço para o fornecimento do gás ao Brasil, Barbassa disse que a postura da Petrobras com a Bolívia é de aplicar o que está no contrato e não aceitar aumento de preços.

O diretor da empresa brasileira também cogitou o GNL (gás natural liquefeito) como solução permanente para suprir uma parcela representativa de cerca de 14 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia às empresas e consumidores brasileiros.

"O GNL tende a crescer no mundo. É uma forma de fazer do gás o que o petróleo é hoje", disse Barbassa. Segundo ele, a Petrobras já estuda a construção de duas plantas para regaseificação do GNL no Brasil, que deverão demandar investimentos entre US$ 200 milhões e US$ 300 milhões.

Essas plantas deverão ser construídas no Nordeste e no Sudeste do país. Ele indicou que uma delas deverá ficar no Rio de Janeiro.

O produto pode ser importado de vários lugares do mundo, segundo ele. "Há várias fontes possíveis, como Nigéria, Trinidad e Tobago, Angola e Argélia", disse, sem detalhar quais seriam os impactos da importação desses países nos preços do gás consumido no Brasil.

O plano de negócios da Petrobras prevê investimentos em torno de US$ 16 bilhões na área de gás até 2010.

Além do GNL, a Petrobras aposta nas reservas da Bacia de Santos, que podem fornecer gás ao Brasil por várias décadas.



Folha Online

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 06 de Dezembro de 2016
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)