Cassilândia, Segunda-feira, 28 de Maio de 2018

Últimas Notícias

25/11/2015 15:08

Ligue 180 registra 4,7 milhões de atendimentos em dez anos

Redação

 

A Central de Atendimento à Mulher (Ligue 180) recebeu nos últimos dez anos 4,7 milhões de atendimentos, segundo dados divulgados hoje (25), Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, pelo Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos.

O serviço, cuja ligação é gratuita e está disponível 24 horas por dia, dá orientações, esclarece dúvidas e pode registrar denúncias de agressões contra mulheres.

Nos últimos dez anos, do volume de ligações recebidas, 552.748 foram relatos de violência. Os principais tipos foram de violência física (56,72%) e psicológica (27,74%). No total, segundo o ministério, foram feitos 1.661.696 pedidos de informação e 824.498 encaminhamentos a serviços da Rede de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres.

Números de 2015

Entre janeiro e outubro deste ano, a Central realizou 634.862 atendimentos, número 56,17% maior que o do mesmo período de 2014 (406.515). Nos dez primeiros meses do ano, foram registrados 63.090 relatos de violência, 40,33% superior aos registrados em 2014.

Dentre as ligações com relatos de violência, 49,82% corresponderam a casos de violência física; 30,40% de violência psicológica; 7,33% de violência moral; 2,19% de violência patrimonial; 4,86% de violência sexual; 4,87% de cárcere privado; e 0,53% de tráfico de pessoas.

O ministério destacou o aumento de 300,39% nos casos de cárcere privado, com média de dez registros por dia. Os registros de estupros também aumentaram em 165,27%. De acordo com o Ligue 180, a média foi de um estupro a cada 3 horas.

Campo Grande foi a cidade com maior taxa de relatos de violência, seguida por Rio de Janeiro e Natal. Entre as unidades da federação, o Distrito Federal liderou, seguido por Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro.

Do total de atendimentos em 2015, 39,52% corresponderam à prestação de informações, principalmente sobre a Lei Maria da Penha; 9,65% são de encaminhamentos para serviços especializados; e 40,28% de encaminhamentos para outros serviços de atendimento, como Polícia Militar, Polícia Civil e Disque 100, da Secretaria de Direitos Humanos.

Edição: Armando Cardoso

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Maio de 2018
Sábado, 26 de Maio de 2018
14:57
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)