Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

10/05/2013 16:01

Jornalista recebe mensagem dizendo que estaria marcado para morrer após denúncia

Dourados Agora/ Correio do Estado

O jornalista paraguaio Leo Veras, que trabalha na fronteira entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã, denunciou, ontem, que foi ameaçado de morte através de mensagens de texto em seu celular. Segundo o profissional, a mensagem adverte que ele faz parte de uma “lista negra” de pessoas marcadas para morrer na fronteira, da qual ele seria a primeira vítima.

De acordo com o jornalista, a ameaça é “claramente” uma retaliação contra a publicação de matéria jornalística em que ele detalha a vida de autoridades que lutam contra o narcotráfico na região fronteiriça.

Denúncia

Na reportagem, Leo Veras fez denúncias sobre envolvidos na morte do também jornalista Carlos Artaza, executado a tiros há cerca de um mês, em Pedro Juan Caballero. Veras também conta que agentes federais brasileiros tiveram que realizar o resgate do juiz federal Odilon de Oliveira, quando este estava em Naviraí.

Apesar da ameaça recebida, o jornalista declarou que continuará trabalhando na fronteira: “Eu vou seguir realizando meu trabalho como o faço todos os dias; e não vai ser esta ameaça contra minha vida que me fará desistir ou vai me fazer ficar trancado dentro da minha casa”.

O jornalista encaminhou a denuncia à polícia paraguaia, ressaltando que ele seria a quinta pessoa a receber ameaça de morte pelo mesmo telefone celular (identificado pelo número). Além Veras, autoridades e familiares de autoridades da fronteira já receberam ameaças de morte e falsos avisos de bomba.

Os jornalistas paraguaios do departamento de Amambay estão trabalhando com escolta da polícia nacional desde que o jornalista Carlos Artaza foi executado por pistoleiros no centro de Pedro Juan.

A região de fronteira entre o Brasil e o Paraguai tem sido considerado por organismos internacionais como um dos lugares mais perigosos do mundo para o exercício do jornalismo. Do ano passado para cá três profissionais foram assassinados por pistoleiros.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)