Cassilândia, Quarta-feira, 30 de Setembro de 2020

Últimas Notícias

23/10/2003 07:49

Governo vai propor novo modelo de educação

Agência Câmara

O Governo vai enviar ao Congresso Nacional, ainda neste ano, um projeto de lei propondo um novo modelo de educação, no qual estará incluído um novo Sistema Nacional de Educação Superior. O anúncio foi feito ontem à tarde pelo representante da Secretaria de Ensino Superior do Ministério da Educação, Cristiano Paiva, durante audiência pública realizada pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal para discutir a situação das universidades públicas estaduais e municipais.
O representante do MEC explicou que o Sistema Nacional de Educação Superior deverá prever novas regras de acesso à universidade pública, possibilitando o ingresso de um maior número de alunos. O Sistema deverá contribuir para a inclusão social, facilitando o acesso de negros e índios às universidades. "É preciso repensar o atual modelo de universidade pública, por intermédio de um pacto social com estados, municípios e sociedade", afirmou Paiva.

FALTA DE RECURSOS
O presidente da Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais, José Walter da Fonseca, relatou as dificuldades financeiras dessas instituições e apresentou uma série de sugestões para financiá-las. Como a criação do Fundo de Desenvolvimento da Educação Superior, destinado ao financiamento e custeio das universidades públicas, constituído por recursos do Imposto de Renda, recolhido pelas instituições de ensino superior privadas, além de recursos provenientes de loterias.
O representante dos reitores apresentou também uma proposta para destinar às universidades estaduais e municipais parcela dos pagamentos da dívida dos estados com a União, na proporção direta do número de alunos matriculados no ano anterior ao repasse. Segundo seus cálculos, em 2002 o montante somaria R$ 425 milhões.

MATRÍCULAS
Fonseca ressaltou que as 37 instituições estaduais e as sete municipais existentes no país matriculam mais que as universidades federais. De 1980 a 2000, as matrículas nessas universidades cresceram, segundo ele, 134%, enquanto nas federais a variação foi de 52%. Além disso, segundo o reitor, as instituições estaduais e municipais são responsáveis por 90% dos cursos noturnos do sistema público.
O presidente da Associação ressaltou ainda que as verbas do Orçamento da União destinam-se basicamente às universidades federais, o que acaba deixando as demais dependentes dos orçamentos estaduais e municipais. Por causa disso, segundo ele, faltam recursos para modernização da infra-estrutura dessas instituições.

INTERIORIZAÇÃO
O representante do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), Antônio Luís de Andrade, ressaltou a importância das universidades estaduais e municipais para o desenvolvimento social do país. Segundo ele, das 39 instituições existentes, 19 estão em municípios do interior. Ele defendeu um plano de carreira para os profissionais dessas universidades; autonomia administrativa; democracia interna e outras formas de financiamento.
O deputado Paulo Rubem Santiago (PT-PE), que presidiu a reunião, e a deputada Iara Bernardi (PT-SP), anunciaram que vão apresentar emendas ao Orçamento da União propondo recursos para as universidades estaduais e municipais, medida que, segundo eles, irá possibilitar que um maior número de alunos tenham acesso ao ensino público de terceiro grau. Os deputados Paulo Rubem Santiago e Ivan Valente (PT-SP) foram os autores do requerimento de realização da audiência pública.



Reportagem - Mauren Rojahn
Edição – Luiz Claudio Pinheiro

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 30 de Setembro de 2020
Terça, 29 de Setembro de 2020
11:00
Corrida/Nutrição/Fitness
Segunda, 28 de Setembro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)