Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

20/01/2007 07:30

Fernandinho Beira-Mar tem liminar negada

STJ

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, teve negado pedido de liminar em habeas- corpus que requeria a liberdade provisória em processo no qual é acusado por dois homicídios duplamente qualificados. A liminar foi negada pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Raphael de Barros Monteiro Filho. O mérito da questão será analisado posteriormente na Quinta Turma do STJ.

No pedido de liminar, a defesa alega excesso de prazo na conclusão do processo em que Beira-Mar é acusado, com base em interceptações telefônicas autorizadas judicialmente, de comandar o homicídio de três pessoas mesmo estando preso na penitenciária de Bangu I, no Rio de Janeiro, onde cumpria pena por tráfico e formação de quadrilha.

O crime, ocorrido em julho de 2002, culminou na morte de Antônio Alexandre Vieira Nunes e Ednei Thomaz Santos. A terceira vítima, Adaílton Cardoso de Lima, sofreu ferimentos graves e só sobreviveu por ter recebido socorro médico em tempo hábil. Os três eram moradores da favela Beira-Mar, no município de Duque de Caxias, e viraram alvo do traficante devido ao suposto envolvimento deles no assassinato de um de seus comparsas, conhecido como “Boné”.

Segundo a defesa, os mais de quatros anos em que Beira-Mar se encontrava em prisão cautelar pelo caso afrontavam os princípios constitucionais da razoabilidade e da dignidade da pessoa humana. Para ela, o réu teria direito “à celeridade dos atos processuais”, o que não estaria acontecendo nos procedimentos do Ministério Público.

O habeas-corpus também pedia a nulidade das provas obtidas por meio das escutas telefônicas por “estar ao arrepio da Lei 9.296/96”. Segundo o advogado, a prova utilizada para acusar Beira-Mar é emprestada de outro processo. Ele argumenta que as ligações telefônicas deveriam ter sido autorizadas pelo juiz da ação principal, o que configuraria a ilicitude das provas.

O pedido, que já havia sido negado Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, também não prosperou no STJ. O ministro Barros Monteiro afirmou que “a leitura dos autos demonstra que o pleito liminar se confunde sobremaneira com o próprio mérito da impetração, cuja análise caberá, oportunamente, ao órgão colegiado” – no caso, a Quinta Turma do STJ.

Além disso, o ministro entendeu que a alegação de excesso de prazo fica superada “em face da decisão de pronúncia, de acordo com a Súmula nº 21 desta Corte” [Pronunciado o réu, fica superada a alegação do constrangimento ilegal da prisão por excesso de prazo na instrução].


Autor(a):César Arrais

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)