Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

30/05/2009 07:39

Ex-vereador de Sapucaia acusado de homicídio é absolvido

João Humberto, Campo Grande News

O ex-vereador Daniel Pereira Lescano e Lousinho Lescano Benites, 22 anos, acusados de envolvimento no assassinato do agente de saúde Alcindo Marques, de 61 anos, em crime ocorrido em novembro de 2007 na Aldeia Taquapery, na cidade de Coronel Sapucaia, onde vítima e acusados residiam, foram absolvidos pelo corpo de jurados que acatou a tese da defesa.

Pela denúncia do MPE (Ministério Público Estadual), baseada em depoimento de Lousinho à Polícia, Lousinho disse que havia recebido R$ 140 de Daniel para matar Alcindo.

Perante juízo Lousinho voltou atrás em relação a sua versão anterior, negando ter cometido o crime e disse que só tinha feito a confissão, pois havia apanhado de um grupo de indígenas rivais de Daniel na aldeia e se ele não ostentasse que teria matado Alcindo a mando do então vereador, eles o matariam.

Na época, Lousinho foi autuado em flagrante por homicídio e permaneceu preso por um ano e seis meses no Epam (Estabelecimento Penal de Amambai). Ele ficou no local até hoje, quando aconteceu o julgamento no edifício do Tribunal do Júri em Amambai.

Após tomar conhecimento das acusações que pesavam em seu desfavor, Daniel Lescano fugiu, teve a prisão preventiva decretada, o mandato de vereador cassado e perdeu o posto de capitão da aldeia indígena. Em agosto do ano passado ficou preso por oito meses em Amambai, até ser absolvido no julgamento dessa sexta-feira.

A sessão do Tribunal do Júri, que foi presidida pelo juiz César de Souza Lima, titular da 1ª Vara de Execuções Penais da Comarca de Amambai, aconteceu com plenário lotado à maior parte por indígenas da Aldeia Taquapery. O julgamento teve início às 8h e terminou por volta das 17h30.

Os dois réus, que estavam presos até a data do julgamento, tiveram o alvará de soltura expedido pela Justiça e ainda nessa sexta-feira retornaram a seus lares.

Três advogados atuaram na defesa dos réus, enquanto o MPE foi representado na sessão pelo promotor Rodrigo Yshida Brandão, titular da 1ª Promotoria da Comarca de Amambai. Brandão disse, ao término da sessão, que ainda vai analisar se recorre da decisão dos jurados, fator que poderia levar os réus a novo julgamento.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)