Cassilândia, Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2017

Últimas Notícias

18/05/2007 14:29

Energia cara emperra competitividade em MS, diz Fiems

Marina Miranda e Fernanda Mathias - Campo Grande News

O preço da energia de Mato Grosso do Sul é um entrave para a competitividade das indústrias e para instalação de novos empreendimentos no Estado. A constatação é do recém-eleito presidente da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), Sérgio Longen.

Segundo ele, o custo da energia é muito alto para o setor e o gás natural que surgiu como alternativa também não apresenta preço viável para uso industrial. Com a nacionalização do gás pela Bolívia, em maio do ano passado, a expectativa quanto ao produto tornou-se ainda mais negativa. “Os reflexos mais fortes estão sendo sentidos agora e o alinhamento da Bolívia com a Venezuela traz perspectivas de aumento do preço”.

Além da energia, observa Longen, Mato Grosso do Sul é distante dos grandes centros consumidores. Para contornar esses dois problemas, a saída, é divulgar a política de incentivo fiscal oferecida pelo governo. “Esses incentivos são os melhores do País. Isso seria o diferencial do Estado para superar o problema energético e da distância”, reforça.
O presidente aponta que tanto o governo, quanto as prefeituras e o sistema Fiems estão agindo de forma conjunta para capacitar mão-de-obra conforme a demanda. Ele exemplifica com que a qualificação que foi oferecida aos trabalhadores da região de Três Lagoas, onde há instalação de indústrias de celulose e papel, além de usinas de álcool.

No comando da Fiems, Longen pretende divulgar as potencialidades do Estado e atrativos para capitalizar e trazer mais indústrias. “A indústria hoje vive momento muito bom”, avalia. Os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) corroboram com a afirmação de Longen. Os últimos levantamentos apontam que o emprego tem crescido em Mato Grosso do Sul graças ao setor agropecuário e indústria.

A “prioridade zero” do novo presidente é agregar valor ao couro, beneficiando o produto no Estado. O serviço será prestado através do Centro Tecnológico do Couro, que já foi inaugurado, mas aguarda uma adequação de equipamentos para funcionar. Dia 31 de julho é o prazo final para abertura. As exportações de couro no 1º quadrimestre cresceram quase 50%.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 20 de Janeiro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 19 de Janeiro de 2017
20:48
Loteria
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)