Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

18/05/2007 14:29

Energia cara emperra competitividade em MS, diz Fiems

Marina Miranda e Fernanda Mathias - Campo Grande News

O preço da energia de Mato Grosso do Sul é um entrave para a competitividade das indústrias e para instalação de novos empreendimentos no Estado. A constatação é do recém-eleito presidente da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), Sérgio Longen.

Segundo ele, o custo da energia é muito alto para o setor e o gás natural que surgiu como alternativa também não apresenta preço viável para uso industrial. Com a nacionalização do gás pela Bolívia, em maio do ano passado, a expectativa quanto ao produto tornou-se ainda mais negativa. “Os reflexos mais fortes estão sendo sentidos agora e o alinhamento da Bolívia com a Venezuela traz perspectivas de aumento do preço”.

Além da energia, observa Longen, Mato Grosso do Sul é distante dos grandes centros consumidores. Para contornar esses dois problemas, a saída, é divulgar a política de incentivo fiscal oferecida pelo governo. “Esses incentivos são os melhores do País. Isso seria o diferencial do Estado para superar o problema energético e da distância”, reforça.
O presidente aponta que tanto o governo, quanto as prefeituras e o sistema Fiems estão agindo de forma conjunta para capacitar mão-de-obra conforme a demanda. Ele exemplifica com que a qualificação que foi oferecida aos trabalhadores da região de Três Lagoas, onde há instalação de indústrias de celulose e papel, além de usinas de álcool.

No comando da Fiems, Longen pretende divulgar as potencialidades do Estado e atrativos para capitalizar e trazer mais indústrias. “A indústria hoje vive momento muito bom”, avalia. Os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) corroboram com a afirmação de Longen. Os últimos levantamentos apontam que o emprego tem crescido em Mato Grosso do Sul graças ao setor agropecuário e indústria.

A “prioridade zero” do novo presidente é agregar valor ao couro, beneficiando o produto no Estado. O serviço será prestado através do Centro Tecnológico do Couro, que já foi inaugurado, mas aguarda uma adequação de equipamentos para funcionar. Dia 31 de julho é o prazo final para abertura. As exportações de couro no 1º quadrimestre cresceram quase 50%.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)