Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

30/12/2003 13:32

Divulgados critérios éticos para a publicidade médica

Márcia Wirth e Patrícia Álvares



Publicada em setembro de 2003, a Resolução CFM n° 1.701 foi alterada e novamente editada em dezembro, com modificações nos artigos 3°, 7° e 15. Conhecida como a “resolução da publicidade médica”, a deliberação estabelece critérios norteadores da propaganda em medicina, conceituando os anúncios, a divulgação de assuntos médicos, o sensacionalismo, a autopromoção e as proibições referentes à matéria .

Antes de fazer as alterações, em novembro deste ano, o CFM recebeu representantes de entidades jornalísticas para discutir um novo texto para a resolução. Estiveram presentes à reunião o vice-presidente para a região Centro-Oeste da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Mauro Alves Pinheiro, o diretor-executivo da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Fernando Rodrigues, e o assessor jurídico da Fenaj e do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal, Claudismar Zupiroli, além dos conselheiros Edson de Oliveira Andrade, presidente do CFM, Rubens dos Santos Silva, secretário- geral, e Antônio Gonçalves Pinheiro.

À época, os representantes dos jornalistas solicitaram audiência com a diretoria do CFM para discutir especificamente o artigo 7º da resolução que, segundo alegavam os profissionais de imprensa, cerceava o livre exercício da mídia e afrontava a garantia constitucional da liberdade de imprensa.

O consenso foi que seria possível procurar uma saída que atendesse a médicos, jornalistas e a sociedade como um todo. “E assim foi feito”, diz Rubens dos Santos Silva, “fizemos as alterações na resolução, respeitando as sugestões apresentadas pela Fenaj e Abraji, mas comprometidos com o exercício ético da profissão médica”.

O conselheiro Antônio Pinheiro, autor das modificações no texto inicial da resolução, destaca que a publicidade médica vem assumindo proporções importantes nos dias de hoje. E até agora o assunto estava “ solto”, à mercê da disputa crescente, pelo mercado , do aumento da oferta de serviços e da moderna tecnologia dos meios de comunicação, sem uma regulamentação precisa dos aspectos éticos que envolvem a atividade médica.

“O CFM precisava se posicionar a respeito das divulgações inverídicas, sensacionalistas e que não tenham clara comprovação científica. Assim, buscamos com a reedição da Resolução n° 1.701 estabelecer um nítido balizamento ético destas condutas, abrangendo todos os médicos do país, bem como as instituições de saúde”, conclui Pinheiro.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)