Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

22/03/2016 06:50

Com respaldo da Justiça, advogado do Cimi se cala durante CPI na Assembleia

Campo Grande News

O advogado Luiz Henrique Eloy compareceu à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga a atuação do CIMI (Conselho Indigenista Missionário), mas ficou calado perante os questionamentos dos parlamentares da comissão, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, na tarde desta segunda-feira (21). Ele tinha decisão favorável da Justiça que não o obrigava a depor.

A deputada pediu que Eloy assinasse o termo de compromisso com a verdade, porém, ele também se recusou e, por meio de seu advogado, alegou que tem decisão favorável da Justiça que o impede de depor.

O advogado de Eloy, afirmou que seu cliente não é liderança indígena e que não teria obrigação de falar.

Segundo a presidente da CPI, deputada Mara Caseiro (PSDB), o advogado descumpriu por duas vezes as convocações da comissão. Em uma primeira situação, Eloy disse que estava em aula do curso de doutorado em direito na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Em outra ocasião, o advogado não compareceu e pediu que nova data para o depoimento fosse marcada.

A assessoria jurídica da CPI do Cimi aprovou até condução coercitiva para que o depoente fosse à CPI.

A presidente Mara Caseiro, interrompeu a sessão por dez minutos para consultar a assessoria jurídica da comissão e no retorno insistiu em ouvir Eloy.

O único momento em que Luiz Henrique Eloy Amado falou foi para lembrar que está desobrigado pela Justiça a prestar qualquer tipo de depoimento.

O depoimento do concovado foi suspensa novamente, e segundo Caseiro, haverá consulta a assessoria jurícida da CPI para ver quais medidas podem ser tomadas em relação ao caso.

Para o deputado Estadual João Grandão (PT), o depoente não teve a intençaõ de faltar com a verdade, conforme afirmaram membros da CPI, e sim optou por não falar pois tem habeas corpus que o livra dessa obrigação.

Embora não tenha prestado depoimento, o advogado do Cimi falou que permanece a disposiçaõ da CPI. Disse também que não se considera foragido, e que seu endereço está a disposição na OAB/MS.

O líder do Conselho do Povo Terena, Lindomar Pereira e o ex-vereador indígena de Dois Irmãos do Buriti, Percedino Rodrigues também foram convocados para prestar depoimento.

Até agora, 23 pessoas foram ouvidas pela CPI do Cimi, entre os 58 nomes aprovados pelos deputados. Além de Mara Caseiro, como presidente, integram a comissão os deputados Paulo Corrêa (PR), que é relator, Pedro Kemp (PT), Onevan de Matos (PSDB) e Marquinhos Trad (PSD), que é vice-presidente da comissão

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)