Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

04/05/2007 20:01

Cassilândia: a entrega do relatório pelo delegado

Daniel Pedra/Midiamax

O esquema de fraude, desvio de dinheiro público e agiotagem teria lesado a Prefeitura de Cassilândia em pelo menos R$ 2 milhões, conforme levantamento preliminar divulgado pelo promotor de Justiça Fábio Goldfinger, integrante da força-tarefa que investiga irregularidades.


Além disso, o inquérito concluído nesta sexta-feira pela Polícia Civil pede o indiciamento do prefeito José Donizete Ferreira de Freitas (PT), do vice Sebastião Pereira da Silva (PSB), o “Tião da Marieta”, dos servidores Ana Regina Arantes, Ivete Vargas da Rocha, Jorge Yoshishilo Kobayashi, Waldimiro José Cotrim Moreira, Orange Rezende e Silva, Luceni Quintina Corrêa e José Benedito Dias, da secretária Ronilda Ribeiro Machado, de Eugênio Luiz Azambuja e dos empresários Roniclei Alves de Queiroz, Aleixo Teixeira Lata, Elciomar Paulo de Menezes e André Vidal Saeki Raizer.


Segundo o promotor de Justiça, na próxima semana as ações cíveis e criminais contra os envolvidos serão apresentadas ao juiz Sílvio Cézar do Prado, da Comarca de Cassilândia. Apesar da conclusão do inquérito, as investigações devem continuar, já que, durante os depoimentos prestados, testemunhas revelaram a participação de alguns vereadores que também se beneficiavam do esquema. “Isto será apurado durante a segunda fase de investigações, mas não vamos revelar detalhes antes de obtermos mais dados sobre a possível participação deles”, afirma Goldfinger.


O promotor salientou que o nome dos vereadores não será revelado antes que sejam encontradas mais denúncias sobre a participação deles, porque há a necessidade de investigação, para que algumas pessoas não estejam querendo incrimina-los em decorrência de disputas políticas. Durante a segunda fase de investigação, ele não descarta que possam ocorrer mais prisões, além de calcular uma maior quantia de dinheiro desviado dos cofres públicos. “Será difícil saber com quanto cada pessoa se beneficiou do esquema, mas sabemos que está quantia já é superior ao que foi calculado durante esta primeira investigação”, afirma Goldfinger.


Notas frias


O prefeito e o vice, que estão afastados dos cargos desde o dia 18 de abril, responderão pelos crimes de peculato e improbidade, sendo que José Donizete estaria usufruindo do esquema antes mesmo de se eleger, segundo apuração da Polícia Civil. Em campanha, ele determinava que os servidores envolvidos nas ilegalidades comprassem cesta básica para entregar a possíveis eleitores.


Após ser eleito, o prefeito teria feito acordo com um empresário, pedindo a ele que abrisse uma firma na área de limpeza pública para que pudesse fazer parte do esquema de superfaturamento das licitações e emissão de notas frias. O dono da empresa teria confirmado à Polícia que o prefeito solicitou que ele abrisse a empresa, garantindo que a Prefeitura iria realizar os serviços e a contrataria até mesmo em caso da abertura de licitações.


Outras testemunhas, inclusive servidores, informaram que Donizete retirava dinheiro do caixa da Prefeitura e compensava estes valores com notas frias. Testemunhas citaram que o vice-prefeito também afastado do cargo, solicitava notas frias a comerciantes da cidade.


Pelo menos cinco empresários confirmaram o fato, além de outras testemunhas e servidores da própria Prefeitura. O dinheiro retirado dos cofres municipais era utilizado para gastos pessoais, sendo que alguns servidores são acusados de usar os recursos da Prefeitura para fazer empréstimos cobrando taxas de juros, o que caracteriza crime de agiotagem.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)