Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/04/2008 21:23

Caso Maksoud: Condenado a 23,8 anos 1º réu julgado

Marta Ferreira/Campo Grande News

Foi condenado nesta quarta-feira a 23,8 anos de reclusão Edson Ferreira, o primeiro dos cinco acusados de participação no assassinato do advogado Willian Maksoud, ocorrido em abril de 2006, em Campo Grande. “Rato”, como Ferreira é conhecido, foi considerado culpado por 6 dos 7 jurados do crime de homicídio doloso.

O julgamento durou quase 11 horas. Só os debates entre acusação e defesa levaram 5 horas. Na sentença, o juiz Aluísio Ferreira dos Santos, que presidiu o júri, definiu na sentença a pena de 16,4 anos pelo homicídio doloso e de 7,4 anos pela formação de quadrilha. O caso ainda tem outros quatro réus para serem julgados, um deles foragido. “Rato”, conforme a peça da acusação, foi quem levou, de moto, o homem que disparou três vezes contra o advogado, e também deu fuga a ele.

Ao definir a pena, o magistrado considerou que o crime foi cometido como dolo intenso, por motivo torpe e que a vítima não teve qualquer condição de se defender. Levou em consideração ainda os antecedentes criminais de Ferreira, que já foi acusado de homicídio e roubo.

A defesa insistiu durante o julgamento na tese de inocência, afirmando que a confissão obtida pela Polícia Civil tem uma assinatura que não é de Ferreira e que ele foi torturado durante as sessões de depoimento.

Ainda conforme foi alegado no julgamento, a morte do advogado foi encomenda da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), e teria relação com o fato de ele ter recebido entre R$ 50 mil e R$ 100 mil para tentar transferir para Campo Grande o irmão do homem apontado como chefe do PCC atualmente, Marcos Herbas Camacho, o Marcola. Como não conseguiu a transferência, Maksoud teria sido jurado de morte.

A pedido da defesa do réu, que alegou ameaças, o juiz determinou que ele inicie o cumprimento da pena, em regime fechado, em Dourados, onde estava anteriormente, e não em Campo Grande.

Dois outros julgamentos do caso já estão marcados, dos irmãos Eliel dos Santos Pires, , no dia 25 deste mês, e de Edmilson dos Santos Pires. Os outros réus são Paulo Eduardo Nepomuceno Alves, o “Peréu”, e Rafael Carlos Mosqueda, que está foragido. Esse último é, conforme a acusação, o autor dos disparos que mataram o advogado. (Colaborou Maristela Brunetto)



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)