Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

17/12/2009 08:29

Caso Eloá: Lindemberg Alves vai a júri popular

O auxiliar de produção Lindemberg Fernandes Alves, de 23 anos, vai a júri popular. O recurso que a defesa havia apresentado ao Tribunal de Justiça (TJ) contra a decisão da Vara do Júri de Santo André de submetê-lo aos jurados pelo assassinato da estudante Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, sua ex-namorada, foi negado ontem por votação unânime (3 a 0) dos desembargadores da 16ª Câmara Criminal. O réu responde ainda a duas acusações de tentativa de homicídio, cinco de cárcere privado e quatro de disparo de arma de fogo.

Em 13 de outubro de 2008, Lindemberg invadiu o apartamento da ex-namorada. Eloá foi feita refém com a amiga Nayara Rodrigues da Silva, de 15 anos, e dois amigos. O réu soltou os amigos e depois Nayara, mas exigiu a volta dela ao imóvel. No dia 17, a Polícia Militar (PM) invadiu o local. Nayara foi baleada no rosto e Eloá, na cabeça e na perna. Lindemberg foi preso. A perícia constatou que saíram do revólver que ele usava os tiros que acertaram as reféns.

A defesa, por meio do advogado Edson Belo da Silva, alegava cerceamento e pedia a anulação da decisão que mandou Lindemberg a júri. Dizia que duas testemunhas (policiais militares) não haviam sido ouvidas pelo juiz e não teve a oportunidade de ler laudos periciais antes do interrogatório do réu. Tratava-se de exames sobre o sangue achado na espingarda de um PM e sobre a degravação de fitas com reportagens.

Ao negar o recurso da defesa, o relator, desembargador Pedro Luiz Aguirre Menin, afirmou que "os depoimentos dos PMs não teriam o condão de afastar a pronúncia diante dos indícios suficientes de autoria colhidos". Os exames também "eram irrelevantes" para mandar o réu a júri. Não haverá prejuízo à defesa, pois testemunhas e exames poderão ser mostrados ao júri. Os desembargadores Newton Neves e Edison Brandão acompanharam o relator na sessão da 16ª Câmara, a última que contou com o desembargador Décio Barretti, que se aposentou.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)