Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

28/08/2007 10:49

Assembléia: Produtores usam faixas para criticar projeto

Marta Ferreira/Campo Grande News

Lideranças dos produtores rurais de Mato Grosso do Sul cumpriram a promessa feita ontem e estão nas galerias da Assembléia Legislativa, para protestar contra o projeto de lei de autoria da Defensoria Pública do Estado que cria uma nova taxa sobre os serviços cartorários. A matéria deve ser votada hoje, segundo a ordem do dia da Assembléia publicada ontem.

Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS) e Acrissul (Associação dos Criadores de MS), colocaram faixas no plenário contra o projeto, alegando que ele terá impacto sobre os preços dos serviços cartorários e, portanto, vai encarecer a atividade produtiva.

Uma das faixas, da Acrissul, classifica o fundo a ser criado como “absurdo” e questiona; “O que mais virá”. Na faixa colocada pela Famasul, a afirmação é de que os produtores rurais estão “sem fundo para pagar mais um fundo”.

Carga pesada - O presidente do MNP (Movimento Nacional dos Produtores) de Mato Grosso do Sul, João Bosco Leal, que está na Assembléia, disse que se a taxa proposta pela Defensoria for criada, o setor produtivo sofrerá impactos com certeza.
Ele comentou que um dos reflexos será para os produtores que contraem empréstimos agrícolas e precisam dar imóveis como garantias e para isso precisam tirar certidões em cartórios.

Leal reclamou que a carga tributária brasileira já é alta, cerca de 40% do PIB (Produto Interno Bruto), segundo afirmou, e que mais uma taxa vai piorar ainda mais a situação. Segundo ele, empréstimos subsidiados ao setor chegam a ter, no fim das contas, acréscimo nos custos superiores a 2%, em razão dos custos paralelos, entre os quais se incluem gastos cartorários.

A sessão na Assembléia ainda não começou. O projeto da Defensoria Pública, defendido pelo presidente da Casa, Jerson Domingos (PMDB), não é consenso nem na bancada do partido. Neste momento, Jerson está reunido com a defensora-pública geral, Edna Edna Batista Nunes da Cunha. O projeto inicial da Defensoria determinava a nova taxa em 5% de cada documento emitido nos cartórios, dinheiro para custear a infra-estrutura do órgão. Diante da polêmica, os defensores já aceitam uma redução para 3%, que pode ser definida por meio de emenda à proposta.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)