Cassilândia, Domingo, 24 de Setembro de 2017

Últimas Notícias

11/03/2008 19:42

Artuzi consegue empate; julgamento é adiado de novo

Humberto Marques/Campo Grande News

O Tribunal Regional Eleitoral direcionou hoje dois votos pela manutenção do mandato do deputado estadual Ari Artuzi (PDT), “empatando o jogo” no processo movimento por seu antigo partido, o PMDB, que solicitava a recuperação da cadeira do parlamentar na Assembléia Legislativa. Porém, o processo ainda não foi concluído, uma vez que um novo pedido de vistas – desta vez do juiz Júlio Roberto Siqueira Cardoso – adiou a conclusão do caso.

O desembargador Elpídio Helvécio Chaves Martins, que havia pedido vistas ao processo na semana passada, e o advogado Carlos Alberto de Jesus Marques, emitiram votos para que o deputado continue no cargo. No caso de Martins, a argumentação é de que Artuzi foi alvo de “grave discriminação pessoal” dentro do PMDB, diante de gestos e declarações de outros integrantes e lideranças do partido.

Em seu voto, o desembargador lembrou episódios que contaram com a presença de Artuzi, como a reunião na qual foi chamado de “animal de pêlo curto” pelo governador André Puccinelli (PMDB) e evento em Ponta Porã no qual o chefe do Executivo estadual, ao ser questionado quando declararia apoio ao deputado na disputa pela prefeitura douradense, disse que o faria quando o hoje pedetista consertasse os dentes e aprendesse a falar – teria colocando o dedo na boca de Artuzi.

Martins ainda sustentou que a entrada de Geraldo Resende no PMDB, com a intenção de disputar a prefeitura de Dourados, também demonstrava desprestígio a Artuzi – uma vez que o deputado estadual nunca escondera sua intenção de disputar o cargo. Desta forma, o desembargador considerou existir perseguição no partido contra o deputado, o que justificaria sua ida para o PDT.

Após este voto, o presidente do TRE, desembargador Oswaldo Rodrigues de Melo, convocou o juiz Júlio Siqueira para votar. Este, por sua vez, afirmou que o foto de Elpídio Martins não lhe dava convicção para proferir sua decisão sobre o caso, levando ao novo pedido de vistas e agendamento da nova votação para a próxima terça-feira (18).

Porém, o advogado Carlos Marques pediu da palavra e solicitou o direito de opinar já nesta sessão sobre o caso. O seu voto enfocou a questão do mérito e competência do TRE em apreciar tal questão, pregando “flexibilidade” da corte no julgamento sobre perda de mandato. Marques sustentou, ainda, que a troca de partido por falta de espaço político pode ser considerada justa causa. “Temos de fazer uma análise minuciosa, talvez não pelo deputado, e sim pelas pessoas que votaram nele”, complementou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 24 de Setembro de 2017
Sábado, 23 de Setembro de 2017
Sexta, 22 de Setembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)