Cassilândia, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

Últimas Notícias

08/07/2009 08:32

Artigo: A esperada reforma eleitoral

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves *–

São muitas as propostas da necessária reforma eleitoral, em tramitação pelo Congresso. A Câmara dos Deputados está prestes a aprovar o uso da internet pelos candidatos. Mas isso é apenas um simples detalhe. Entre as importantes propostas, estão o estabelecimento do mandato de cinco anos, sem reeleição para o Executivo; a coincidência de todos os mandatos; e o financiamento público das campanhas..

A fixação do próximo mandato em cinco anos, sem a possibilidade de recondução de presidente, governadores e prefeitos, vai de encontro aos interesses nacionais, já que a reeleição, incluída casuíticamente na legislação, para manter FHC na presidência, e hoje aproveitada ao máximo por Lula, não atende aos altos interesses nacionais. É apenas a antidemocrática eternização do governantes e não interessa nem um pouco ao cidadão comum. A coincidência dos mandatos – realização de eleições para todos os níveis num só dia – foi tentada nos anos 80 e não deu certo, embora possa representar mais tranqüilidade aos governantes, que não sofreriam pressões eleitorais na metade do seu mandato, como agora, com pleitos a cada dois anos. Finalmente, o financiamento público de campanha, esse sim, consulta aos interesses nacionais mas, infelizmente, é o item de menor possibilidade de aprovação.

A reeleição – já ficou provado – é um instituto antidemocrático, que beneficia quem está no poder em prejuízo dos demais. Presidente, governadores e prefeitos em exercício levam vantagens frente a seus concorrentes e, se inescrupulosos, ainda acabam utilizando a máquina pública para angariar votos. Por isso, precisa acabar o mais rápido possível. E um mandato de cinco anos (em vez de quatro) também é razoável para quem não terá a oportunidade de reeleição. Recorde-se que, antes do instituto da reeleição, os governantes deixavam a “marca” do seu período, pois sabiam da impossibilidade de continuar e até da incerteza de fazer o sucessor. Com a reeleição isso não acontece. Qual a grande obra de FHC? (O Real foi de Itamar Franco!) E a de Lula?

A coincidência dos mandatos, essa sim, é controversa. Para estabelecê-la seria necessário fazer uma conta de chegar com mais anos de mandato para os atuais ou os futuros prefeitos, para que seus períodos de governo venham a coincidir com os do presidente e dos governadores. Isso tem de ser muito bem feito para ter eficácia e não cair no buraco negro como há quase 30 anos. Muitos políticos, ao perderem a eleição geral, já começam a campanha para a local, marcada para dois anos depois. Se estabelecida a coincidência, novas eleições só depois de quatro anos. Será que eles aguentam?

O financiamento público das campanhas, este sim, é do mais alto interesse, pois evitará o uso do poder econômico e a eterna servidão dos candidatos (e governantes) às empreiteiras que financiaram suas campanhas. Se o governo, por seus meios, financiar as campanhas, e a Justiça Eleitoral for diligente para evitar o uso de outros recursos, as eleições serão mais democráticas e representativas e a nação estará livre da corrupção, pelo menos nesse setor.

O Brasil precisa, urgentemente, criar regras mais contemporâneas para suas eleições e afastar o fantasma da corrupção, que ataca na campanha e suga a sociedade durante todo o mandato dos eleitos. Isso é prioridade, até uma questão de patriotismo...



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves *– diretor da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)

aspomilpm@terra.com.br





O Cassilândianews não se responsabiliza por artigos assinados

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 23 de Agosto de 2017
Terça, 22 de Agosto de 2017
21:03
Cassilândia
06:11
Inocência, Alcinópolis, Figueirão e Paraiso das Àguas
Segunda, 21 de Agosto de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)