Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

20/04/2005 15:15

Agricultores temem novo índide de produtividade

Senarms

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) arrisca desarticular a estrutura de produção que sustenta as exportações agrícolas brasileiras se mantiver as anunciadas exigências de produtividade para efeitos de desapropriação para reforma agrária. Das regiões com alto nível de produção de soja e milho, raras vão conseguir cumprir as exigências e ficar fora da linha de tiro do MDA.

Mato Grosso, o maior produtor do País, com 17,4 milhões de toneladas na safra 2003/2004, alcançou produtividade média de 2.981 quilos por hectare nos últimos cinco anos, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O MDA pretende exigir um mínimo de 2.900 quilos por hectare para que as terras não sejam listadas entre as passíveis de desapropriação.

Já o segundo maior produtor de soja, Paraná, que teve uma colheita de 10,6 milhões de toneladas na safra 2003/2004, alcançou uma produtividade média de 2.822 quilos por hectare nos últimos cinco anos. A média fica abaixo do patamar de 2.900 quilos por hectare e, portanto, seria passível de desapropriação. Goiás, o terceiro maior produtor brasileiro de soja, com 7,18 milhões de toneladas na safra passada, obteve produtividade média de 2.714 quilos por hectare nos últimos cinco anos, bem abaixo da média mínima que o MDA quer implantar.

Para Anderson Galvão, diretor da Céleres Consultoria, de Uberlândia (MG), especialista em soja, os números propostos pelo MDA sujeitariam boa parte das fazendas produtoras de soja de Mato Grosso - e no Estado há muitas fazendas que são o pilar da grande produção nacional de soja - ao retalhamento para reforma agrária. Ele lembra que nas duas últimas safras, a antiga média histórica das fazendas de Mato Grosso (que foi de 2.892 quilos por hectare) caiu para uma média de 1.868 quilos por hectare, por causa de problemas climáticos. Para Galvão, os índices mínimos de produtividade da soja anunciados pelo governo são "substancialmente altos", até para as mais avançadas áreas de produção.

Milho

Nas áreas de produção de milho a situação é muito parecida. O MDA quer impor produtividade mínima de 4.200 quilos por hectare para fugir à reforma agrária. Entre os principais Estados produtores, apenas o Paraná escaparia da desapropriação para a reforma agrária, com sua produção de 10,7 milhões de toneladas na safra 2003-2004 e produtividade média nos últimos cinco anos de 4.443 quilos por hectare.

Minas Gerais, segundo maior produtor brasileiro, com 6,1 milhões de toneladas na safra passada, tem rendimento médio de 4.113 quilos por hectare, abaixo da exigência do MDA, portanto. São Paulo, o terceiro maior produtor nacional, com 4,19 milhões de toneladas na última safra, produziu em média 3.978 quilos por hectare, ou seja, muito abaixo da média proposta pelo governo.

Pecuária

As entidades de pecuaristas brasileiros estão preocupadas com os índices que o MDA vai exigir como padrão de produtividade para reforma agrária em terras ocupadas pela exploração pecuária. O consultor José Vicente Ferraz, da FNP Consultoria, de São Paulo, teme a fixação de metas de acordo com o número de animais em criação. Ele lembra que poucas reses no pasto pode significar que o criador vendeu um lote grande ou que está reformando pasto.

Se o Incra visitar a propriedade num momento imediatamente posterior à venda de um grande número de cabeças, a avaliação não registrará altos níveis de produtividade. Segundo Ferraz, é complicado determinar, mesmo por região, o número mínimo de cabeças de gado que deva caber num hectare. Às vezes as condições de manejo e do próprio ambiente permitem que sejam colocados mais ou menos bovinos numa determinada área, o que não significa que a propriedade seja improdutiva.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)