Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Quarta, 21 de Abril de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Polícia reconstitui morte de Gabriela Padro

Rosemery Amado/ABr - 16 de maio de 2004 - 14:43

A Polícia do Rio está realizando desde às 10 horas da manhã, a reconstituição da morte de Gabriela Prado. A estudante de 14 anos foi assassinada com um tiro no peito em março de 2003 na estação do metrô, na Tijuca, zona norte.

A estação foi cercada pelos policiais e ficou sem funcionar. Os pais e parentes de Gabriela não puderam acompanhar a reconstituição. De acordo com o delegado Orlando Zarcone, que está cuidando do caso, o objetivo da reconstituição é saber se realmente o tiro que matou a adolescente saiu da arma de um policial, e se foi mesmo efetuado por ele.


O policial, que trocou tiros com bandidos que acabavam de assaltar a bilheteria da estação do metrô, foi ferido e largou a arma, que mais tarde foi encontrada em poder dos bandidos. Gabriela foi atingida no momento em que tentava subir a escadaria da estação.

Para o pai de Gabriela, Carlos Santiago, a filha percebeu a confusão na bilheteria e tentou sair. “Minha filha ia comprar o bilhete para embarcar e naturalmente quando viu a movimentação tentou voltar, mas foi baleada.”

Os bandidos que assaltaram a estação chegaram a ferir a tiros o policial civil Renato Nair, de Brasília que estava na bilheteria. Quando tentavam escapar, foram surpreendidos pelo policial Luiz Carlos que atirou contra eles.

Quatro dos 5 bandidos que praticaram o assalto, participaram da reconstituição. Luiz Augusto Castro de Souza, que já foi condenado a 43 anos de prisão, foi orientado pelo advogado a não participar.
A reconstituição não tem hora para terminar.