Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Domingo, 14 de Abril de 2024
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Sul-mato-grossense colhe 'mandiocão' de quase 5 metros; uma das maiores do país

Midiamax - 21 de maio de 2016 - 12:30

(Foto: Victor Rodrigues/CoximAgora)
(Foto: Victor Rodrigues/CoximAgora)

Famoso na cidade de Coxim, município a 253 quilômetros de Campo Grande, por ter encontrado há dois anos, uma mandioca de 2,35m, o serviço gerais Itamar Marçal de Oliveira, de 59 anos, colheu na manhã desta quinta-feira (19), uma mandioca que mede 4,65m de comprimento, na rua Frei Cirino João Primon, no bairro Senhor Divino.

De acordo com site Coxim Agora, ele plantou a rama a aproximadamente dois anos e meio e teve que retirá-la para iniciar a construção de um muro no local, assim que começou a cavar percebeu que se tratava de uma “mandioca gigante”, onde passou a ter todo um cuidado para não quebra-lá.

No dia 07 de outubro de 2014 o pedreiro havia colhido uma mandioca de 2,35 m no mesmo terreno e desta vez ficou surpreso com a raiz que tem o dobro do tamanho, um braço de 1,20m e 0,57 cm de circunferência.

Um levantamento do site Coxim Agora, aponta que a mandioca é uma das maiores já encontradas no país.

Itamar informou ainda que vai cortá-la e distribuir para os vizinhos e sua família preparar um bijú, uma iguaria a base de farinha de mandioca.

Terra boa

Em abril de 2013, o funcionário público Adonias Rodrigues da Silva, 58 anos, colheu uma mandioca de 1,88 metro. O caso ocorreu em uma propriedade rural na zona rural de Coxim. Adonias contou ao Coxim Agora que nunca viu uma mandioca daquele tamanho e mesmo tirando com cuidado a raiz quebrou.

O morador da área rural preferiu fazer farinha e misturar com coco ralado para consumo. O engenheiro agrônomo Raimundo Alves Junior, informou em entrevista ao jornal que a raiz pode ser consumida normalmente apesar do tamanho. “Uuma raiz desse tamanho não é normal, mas como as condições climáticas da região são propicias para a cultura da mandioca, podem ocorrer fatos isolados como este do senhor Adonias”, explicou o agrônomo.

SIGA-NOS NO Google News