Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Terça, 30 de Novembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

MS já tem, em 2006, 30% a mais de dengue do que em 2005

Marina Miranda e Inara Silva / Campo Grande News - 12 de abril de 2006 - 13:51

Mato Grosso do Sul vive surto de dengue. A informação foi dada esta manhã pela superintendente de Epidemiologia da SES (Secretaria Estadual de Saúde), Cleise Wolf Fedrizi. Segundo ela, o número de casos confirmados até hoje, 831, supera em 30% todo o registro de 2005, quando foram notificados 2,4 mil casos e houve 579 confirmações de contágio da doença.

Este ano, foram registradas 4.196 ocorrências. Três pessoas tiveram dengue hemorrágica em Campo Grande e uma pessoa morreu após contrair a doença, em Cassilândia, cidade a 412 quilômetros da Capital.
Cleise informou que a última epidemia de Mato Grosso do Sul ocorreu em 2002 quando foram notificados 20 mil casos de dengue, dos quais 12.278 casos foram confirmados.

Outro problema é quanto ao índice de infestação do mosquito, que atualmente é de 3% - bem acima do recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde): 1%.
De acordo com Cleize, alguns municípios do Estado têm bairros com 8% de infestação. Bataguassu, por exemplo, vive uma epidemia – foram 482 notificações, 145 casos confirmados. A cidade tem 18,1 mil habitantes.

Os dados foram fornecidos durante entrevista coletiva na governadoria, junto com técnicos e coordenadores da Secretaria Estadual de Saúde. Na ocasião, Cleise solicitou auxílio da população. “As pessoas têm de colaborar. Todo mundo sabe como cuidar”, ressaltou. Ela informou que todos os cuidados no combate à doença estão sendo tomados, como borrifação nas casas a cada 60 dias, e esclareceu que Mato Grosso do Sul não é um caso isolado de surto de dengue no País.

Negligência - Ontem, reportagem do Campo Grande News, esteve na Vila Carolina, onde foram encontrados diversos terrenos baldios com acúmulo de pneus e latas. Os moradores temem que aumente a incidência de casos de dengue devido ao lixo. A dona de casa Edmeire Fespi, 30 anos, mora há seis anos em frente a um terreno baldio na Vila Carolina. “Junta muita água e eu tenho um filho de 6 anos. Dá medo”, disse. Segundo ela, seu esposo, Fábio Fespi, 26 anos, já contraiu dengue.

SIGA-NOS NO Google News