Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Segunda, 15 de Agosto de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Copom indica continuidade NA redução dos juros

Stênio Ribeiro/ABr - 27 de abril de 2006 - 10:58

A convergência da inflação para a meta oficial de 4,5% associada à consolidação de um cenário duradouro de estabilidade econômica contribuem para a "redução progressiva da percepção de risco macroeconômico que vem ocorrendo nos últimos anos". A observação está contida na ata da reunião que o Comitê de Política Monetária (Copom) realizou na semana passada, divulgada hoje (27) pelo Banco Central.

O Copom reafirma o diagnóstico de que tanto os resultados recentes quanto as projeções de inflação sugerem que, além de conter as pressões inflacionárias de curto prazo, a flexibilização da taxa básica de juros (Selic), adotada a partir de setembro do ano passado, "vem contribuindo de maneira importante para a consolidação de um ambiente macroeconômico cada vez mais favorável em horizontes mais longos".

As afirmações traduzem otimismo quanto à continuidade da redução gradativa da taxa de juros, que já cedeu de 19,75% para 15,75% ao ano nos últimos seis meses. Principalmente considerando-se que a atividade econômica sinaliza "consolidação progressiva" de expansão, em ritmo condizente com as condições de oferta, de modo a não pressionar a inflação, como destaca a ata da reunião do colegiado de dirigentes do BC, realizada nos últimos dias 18 e 19.

A ata do Copom enfatiza também que "o cenário externo permanece favorável", principalmente no que diz respeito às perspectivas de investimento para a economia brasileira, a despeito das incertezas sobre os preços mundiais do petróleo, que atingiram níveis historicamente elevados, e quanto à trajetória das taxas de juros nos Estados Unidos, Europa e Japão.

Em virtude desse "cenário benigno para a trajetória da inflação", como destaca a ata do Copom, a estimativa de inflação para o ano permanece abaixo da meta de 4,5%, fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN); e a projeção de inflação para 2007 também se mantém abaixo da meta, de acordo com as estimativas do BC, mas ligeiramente acima da meta na expectativa dos analistas de mercado e de instituições financeiras, consultados todas as semanas sobre tendências dos principais indicadores da economia.

O Copom avalia que a "atuação cautelosa" da política monetária tem sido fundamental para aumentar a probabilidade de convergência da inflação para a trajetória de metas, mas ressalta a necessidade de os indicadores prospectivos de inflação continuarem favoráveis, de modo a consolidar o ambiente econômico para juros reais menores no futuro. Isso se verá na próxima reunião do Comitê, agendada para o fim do mês que vem.

SIGA-NOS NO Google News