Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sexta, 19 de Agosto de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Copa do Mundo: Entrevista com Adriano

CBF News - 19 de junho de 2006 - 09:29

Adriano era moleque, jogava pelada na Vila Cruzeiro, a favela onde foi criado no Rio de Janeiro, e já tinha como maior sonho disputar uma Copa do Mundo. Do mesmo jeito que via os craques do Brasil nas partidas pela TV como mais um entre os centenas de torcedores da sua comunidade.

No Flamengo, onde chegou muito cedo, acreditou que o objetivo ficou mais próximo. Destaque nas divisões de base da Gávea, começou a ser convocado para as Seleções Sub 17, depois Sub-20.

Tudo parecia caminhar bem para o atacante quando, aos 18 anos, foi negociado para a Itália.

- Fui muito novo para a Itália. No começo foi tudo muito difícil, muita gente achou que não daria certo.

Adriano teve a sorte de chegar no Internazionale e encontrar Ronaldo.

- Devo ao Ronaldo por ter facilitado as coisas para mim. Ele me ajudou muito no início.

Mais bem ambientado, Adriano viu que o temor de muitos não se justificava. Acredita mesmo que a transferência para o futebol italiano acabou encurtando os caminhos em direção à Seleção Brasileira.

- Jogar em um clube de ponta como o Inter me colocou mais perto da Seleção. Só tive de mostrar o futebol que sabia que tinha condições de jogar. As convocações vieram naturalmente.

Tantas foram as convocações, principalmente com Parreira, que Adriano acabou assumindo a posição de titular. O técnico é admirador do seu futebol, em que destaca a capacidade de finalização que Adriano possui, como poucos atacantes têm.

Além disso, Parreira vê em Adriano um típico jogador daqueles chamados de Seleção.

- Aqui ele se sente bem, sabe que está no meio de amigos. O Adriano é daqueles que se sente muito à vontade com a camisa da Seleção.

Adriano agradece os elogios e a confiança vindos de Parreira. Mas sabe que precisa estar sempre bem, sabe que de um atacante - ainda mais em uma Copa do Mundo - , só se espera o que faltou na estréia diante da Croácia.

- Vou continuar batalhando muito atrás de um gol, mas não gosto de ficar prometendo que vou marcar - disse Adriano, antes do jogo em que fez o seu primeiro gol em Copa do Mundo, contra a Austrália, dedicado ao filho recém-nascido, Adriano Júnior.

- Estou muito feliz. Sempre quis ter o primeiro filho homem e o Adriano Jr. chegou.

SIGA-NOS NO Google News