Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sábado, 15 de Maio de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Construção de fábrica começa em setembro

Anderson Viegas - 03 de julho de 2003 - 14:19

Campo Grande (MS) – A construção da fábrica da empresa Kepler Weber em Campo Grande começa no dia 1º de setembro, e dentro de 12 meses a unidade que será uma das mais modernas do mundo deve ser inaugurada, com a capacidade de processamento inicial de 15 a 20 mil toneladas de aço/ano, que deve ser ampliada a partir conclusão da obra, nove meses depois, para 50 mil toneladas de aço/ano. As informações são do diretor-presidente da Kepler Weber, Othon D’Eça Cais de Abreu, que esteve reunido junto com o seu assessor Laércio Nery, na manhã desta quinta-feira, com o governador Zeca do PT, e os secretários Paulo Duarte (Coordenação Geral de Governo) e José Felício (Produção e Turismo), justamente para comunicar a equipe do governo o cronograma da construção da fábrica. Abreu reiterou durante a visita, a segunda que faz ao governador e a sua equipe em Campo Grande, que a nova fábrica que será instalada em uma área de 100 hectares, terá uma área construída de 42,6 mil metros quadrados, e gerará 500 empregos diretos e cerca de cinco mil indiretos. A filial da Capital – a empresa tem sede no Rio Grande do Sul – que conta com incentivos fiscais do governo do Estado para sua instalação, produzirá equipamentos para a limpeza e armazenagem de grãos, como moegas, secadores e silos.
Segundo o empresário, a Kepler Weber utilizará pelo menos 90% de mão de obra local na nova fábrica, e para garantir a qualificação desses funcionários, que operarão máquinas de última geração (mecatrônicas), disse que serão estabelecidas parcerias com entidades com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço de Atendimento as Pequenas e Micro-Empresas (Sebrae). “Isso pode ser feito porque temos tempo até a instalação da fábrica:”, explicou. O diretor-presidente da empresa disse ainda que existe pressa na instalação da fábrica em Campo Grande porque a unidade do Rio Grande do Sul, em Panambi, já não atende a demanda. “Hoje trabalhamos com um prazo de entrega de aproximadamente oito meses. Chegamos a ter em todo o País durante a safra mais de 436 obras de instalação de equipamentos produzidos pela Kepler. Além disso, recentemente ganhamos a concorrência para uma grande obra em Dubai, ns Emirados Árabes, no valor de US$ 3 milhões”, salientou.
Abreu lembrou que a demanda por equipamentos de armazenagem no Brasil é muito grande e comparou a capacidade de estocagem de grãos nas propriedades rurais brasileiras (tendência do mercado) com as de outros países. “Nos Estados Unidos 60% das propriedades tem equipamentos de armazenagem de grãos, na Europa esse percentual é de 50%, na Argentina é de 25% e no Brasil é de apenas 5%”. Além do mercado brasileiro, na área chamada nova fronteira agrícola, o diretor-presidente do Kepler disse que a nova unidade atenderá os países do Mercado Comum do Sul (Mercosul) e o mercado asiático, quando a rota bioceânica estiver viabilizada.


SIGA-NOS NO Google News