Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

19/03/2004 13:52

Troca de moeda inoxidável de R$ 1,00 termina 2ª

Stenio Ribeiro / ABr

Banco Central alerta para o fim do prazo, na segunda-feira (22), de troca das moedas de R$ 1,00 cunhadas em aço inoxidável pelas moedas bimetálicas de borda dourada, de igual valor. A troca é permitida hoje em toda a rede bancária, mas a partir de terça-feira (23) só poderá ser realizada em 146 agências do Banco do Brasil, nas capitais e principais cidades do interior, até dia 23 de setembro.

As 214,7 milhões de moedas em aço inoxidável em circulação estão sendo recolhidas desde setembro do ano passado, quando o BC divulgou campanha nacional explicativa sobre a necessidade da troca, para dificultar imitações. A campanha foi repetida para lembrar o fim da circulação formal da moeda no dia 22 de dezembro.

Mas, para que não houvesse prejuízo aos possuidores das moedas, o BC dava mais três meses de prazo para troca em toda a rede bancária do país. Muitos comerciantes continuaram aceitando a moeda inox, embora desobrigados de fazê-lo. As moedas também podiam ser depositadas em conta-corrente ou poupança. Mesmo assim, seis meses após o início do recolhimento, apenas 112.403.463 milhões delas foram substituídas, até ontem, pelas moedas de liga dupla com borda dourada.

É a primeira vez que o Brasil faz esse tipo de troca de moedas, com o objetivo de aprimorar o meio circulante, facilitar a identificação e aumentar a segurança do dinheiro. No passado, as trocas estavam sempre associadas à desvalorização pelo processo inflacionário. As moedas retiradas de circulação são descaracterizadas e vendidas como sucata para a indústria siderúrgica.

No lançamento da campanha de dezembro, o diretor de Administração do BC, João Antonio Fleury Teixeira, destacou que "fabricar dinheiro não é barato, e quem paga é a sociedade". Por isso, existe uma tendência natural pelo aumento da substituição gradativa também das cédulas de R$ 1,00 por moedas – enquanto estas duram até 30 anos, o tempo médio das "notas" é de apenas 14 meses. Existem 708 milhões dessas cédulas em circulação. Elas serão substituídas aos poucos, depois de concluída a troca das moedas.

De acordo com o BC, 163 milhões de moedas bimetálicas circulam hoje no mercado e a Casa da Moeda tem mais 61,7 milhões delas em estoque. "São moedas de melhor qualidade e que oferecem maior segurança contra falsificação, uma vez que a cunhagem em ligas diferentes exige um tratamento técnico que os falsários não conseguem imitar", explicou o diretor.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)