Cassilândia, Domingo, 26 de Maio de 2019

Últimas Notícias

28/11/2018 09:40

TJ do Rio adia decisão sobre ação que contesta colégio eleitoral da CBF

Correio do Estado

A CBF saiu praticamente vitoriosa da disputa que trava com o Ministério Público sobre a mudança do colégio eleitoral da entidade.

Em votação que ocorreu na tarde desta terça, os desembargadores da 19ª Câmara Cível determinaram, por 2 votos a 0, que a Vara Cível é a competente para julgar a ação que contesta a alteração.

O julgamento não chegou ao final porque o magistrado Lúcio Durante pediu mais tempo para analisar (pedido de vista). Ele prometeu anunciar o seu voto na próxima semana. Durante será o último a votar.

O resultado só será modificado se os outros dois desembargadores, que já votaram em favor do pedido da CBF (Guaraci Vianna e Juarez Folhes) recuarem nos seus votos, o que dificilmente acontecerá.

A vitória da confederação só não foi ainda maior porque os desembargadores não concordaram em extinguir a ação, como os advogados da entidade pediram no recurso.

Se o pedido do Ministério Público obtiver sucesso, a ação pode obrigar a entidade a realizar uma nova eleição, caso o peso dos votos dos participantes do pleito caírem.

No ano passado, a CBF incluiu os 20 clubes da Série B do Campeonato Brasileiro no seu colégio eleitoral, mas sem reduzir a participação das federações. A mudança ocorreu numa reunião da entidade que contou apenas com representantes das federações.

O Ministério Público quer julgar o caso no Juizado Especial do Torcedor.

Na ação, o procurador Rodrigo Terra argumenta que a confederação não respeitou os princípios de publicidade e transparência, previstos no Estatuto do Torcedor, já que os clubes da Série A não foram convocados para a assembleia, o que reduziu sua representatividade nas eleições da entidade.

A CBF já havia obtido uma liminar alegando que o tal estatuto não poderia ser aplicado para questionar mudanças estatutárias, como alteração no colégio eleitoral.

"Foi feita Justiça. Seria um absurdo reconhecer a competência do Juizado do Torcedor para apreciar e julgar uma questão envolvendo uma decisão administrativa da entidade", disse o diretor jurídico da CBF, Carlos Eugênio Lopes.

"Vamos agora aguardar o resultado final. Os desembargadores ainda podem rever a decisão", completou o advogado.

O Ministério Público alega que a inclusão de pesos diferentes no pleito foi uma forma de o atual grupo político que comanda a CBF manter o poder das federações na eleição.

Isso entraria em conflito com o objetivo da legislação que obrigou a participação dos clubes da Série B na eleição: dar maior protagonismo às agremiações na entidade.

Em abril, Rogério Caboclo foi eleito presidente da CBF. Apenas três clubes (Flamengo, Corinthians e Atlético-PR) não votaram no afilhado político de Marco Polo Del Nero, banido pela Fifa do futebol neste ano por corrupção.

Mensalmente, cada federação recebe R$ 75 mil dos cofres da entidade, que tem Caboclo como principal executivo atualmente.

Para formar a sua chapa, Caboclo colocou apenas cartolas ligados às federações. Ele deixou os clubes e personalidades do esporte fora da sua chapa.

Com o apoio de 25 das 27 federações ao homologar sua chapa, ele inviabilizou a oposição. Para registrar candidatura na CBF, o postulante ao cargo precisa ter o apoio de oito federações e cinco clubes.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 26 de Maio de 2019
10:00
Receita do Dia
Sábado, 25 de Maio de 2019
11:34
Cassilândia
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)