Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

28/02/2007 17:15

TJ desonera ex-marido do pagamento de pensão alimentícia

TJ/MS

A Quarta Turma Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, via da Apelação Cível nº 2006.015636-7 – Lei Especial, desonerou ETS do pagamento de pensão alimentícia a IES, com quem foi casado por aproximadamente 14 anos, tendo ocorrido a separação no ano de 1980.

No ano de 1981 ficou acordado judicialmente que ETS pagaria a apelante 20% (vinte por cento) de seus vencimentos, e, cuja obrigação manteve-se por mais de 20 (vinte) anos.

Ocorre que IES após a separação passou a conviver maritalmente com outra pessoa na cidade de São Paulo. Relação essa que perdurou por muitos anos, e durante esse tempo, ETS continuou a pagar a pensão alimentícia, até que o companheiro da requerente faleceu e esta passou a receber pensão previdenciária deste, embora dividida com os filhos do de cujus.

Atualmente, segundo depoimentos testemunhais que se encontram acostados aos autos, a requerente IES constituiu nova união estável.

O Desembargador Elpídio Helvécio Chaves Martins entende que somente o fato de a apelante ter reconhecido que manteve união estável com outro homem, do qual é pensionista, já enseja a extinção de alimentos, e, somente esse fato, já seria suficiente para a procedência do pedido de exoneração de alimentos formulado por ETS.

O intuito da pensão alimentícia é assegurar meios de sobrevivência àquele que dela necessita e não uma forma de melhoria na renda da alimentanda, portanto, não é viável, que se venha a acumular pensão alimentícia de ex-marido, com pensão previdenciária de ex-companheiro, ainda mais se, como no presente caso, a mesma vive atualmente em nova união estável.

O artigo 1.708 do Código Civil é claro ao estipular que com a união estável ou o concubinato do credor (alimentado), cessa o dever de prestar alimentos; na presente hipótese, se afiguram as duas situações, pois a alimentada após a separação viveu em concubinato com terceiro, o qual inclusive veio a falecer, deixando-lhe pensão previdenciária e, atualmente, vive em união estável, o que deixa evidente a procedência do pedido de exoneração.




Autoria do Texto:Secretaria de Comunicação Social

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)