Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

27/04/2016 11:00

Suplemento: saiba como evitar adulterações e acertar na escolha

Portal Educação Física

 

Hoje em dia, com cada vez mais pessoas buscando saúde e qualidade de vida, o mercado de suplementos nutricionais tem crescido substancialmente. Felizmente cresce também o conceito de que suplementos são para todos, e não somente para atletas e bodybuilders. Desde que consumidos adequadamente, ou seja respeitando-se cinco princípios básicos – “por que”, “o quê”, “como”, “quando” e “quanto” consumir -,o uso de suplementos só traz benefícios à saúde, qualidade de vida e performance.

Porém, com o crescente número de produtos e de empresas produtoras de suplementos à disposição no mercado, como saber qual é melhor? Como escolher? Talvez hoje, essa seja a pergunta mais difícil de ser respondida, não só pelo consumidor, como também pelos profissionais que orientam a utilização dos suplementos.

Isso ocorre porque infelizmente existem no mercado empresas que visando um lucro maior, adulteram seus produtos e, o que se lê no rótulo não é o que se encontra dentro do pote. O fato já é antigo, como pudemos constatar por matéria levada ao ar pelo “Fantástico”, no dia 12 de setembro de 2013, na qual o Inmetro, a pedido da Rede Globo, constatou inúmeras irregularidades nos suplementos analisados.

Antigamente, a forma mais comum de adulteração era manipular a proporção carboidrato x proteína, colocando-se uma quantidade de proteína menor e uma quantidade de carboidrato maior do que explicitado no rótulo. No entanto, como essa forma de adulteração era facilmente detectada em análises quantitativas, com o tempo surgiram novas formas de adulteração.

Uma delas é a adição de vários tipos de proteínas de baixo custo (soja, trigo, arroz, colágeno) a um produto de mais alto custo, como o whey protein, sem que essa adição de outros tipos de proteínas seja comunicada no rótulo. Outra forma de adulteração consiste na adição de aminoácidos de baixo custo à proteína de forma a garantir um alto teor de aminoácidos e assim mascarar o teste quantitativo. Esse procedimento é chamado “Amino Spiking”.

A única forma de coibir essas adulterações seria através da realização de testes qualitativos, capazes de identificar não só a quantidade, como a qualidade, ou seja: qual o tipo de proteína, se houve adição de aminoácidos e quais aminoácidos foram adicionados.

Portanto, voltando à pergunta do início do nosso texto, a resposta é: escolha uma empresa idônea que respeite as Boas Práticas de Manufatura (cGMP) e que submeta seus produtos a análises qualitativas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)