Cassilândia, Quarta-feira, 29 de Março de 2017

Últimas Notícias

27/04/2016 11:00

Suplemento: saiba como evitar adulterações e acertar na escolha

Portal Educação Física

 

Hoje em dia, com cada vez mais pessoas buscando saúde e qualidade de vida, o mercado de suplementos nutricionais tem crescido substancialmente. Felizmente cresce também o conceito de que suplementos são para todos, e não somente para atletas e bodybuilders. Desde que consumidos adequadamente, ou seja respeitando-se cinco princípios básicos – “por que”, “o quê”, “como”, “quando” e “quanto” consumir -,o uso de suplementos só traz benefícios à saúde, qualidade de vida e performance.

Porém, com o crescente número de produtos e de empresas produtoras de suplementos à disposição no mercado, como saber qual é melhor? Como escolher? Talvez hoje, essa seja a pergunta mais difícil de ser respondida, não só pelo consumidor, como também pelos profissionais que orientam a utilização dos suplementos.

Isso ocorre porque infelizmente existem no mercado empresas que visando um lucro maior, adulteram seus produtos e, o que se lê no rótulo não é o que se encontra dentro do pote. O fato já é antigo, como pudemos constatar por matéria levada ao ar pelo “Fantástico”, no dia 12 de setembro de 2013, na qual o Inmetro, a pedido da Rede Globo, constatou inúmeras irregularidades nos suplementos analisados.

Antigamente, a forma mais comum de adulteração era manipular a proporção carboidrato x proteína, colocando-se uma quantidade de proteína menor e uma quantidade de carboidrato maior do que explicitado no rótulo. No entanto, como essa forma de adulteração era facilmente detectada em análises quantitativas, com o tempo surgiram novas formas de adulteração.

Uma delas é a adição de vários tipos de proteínas de baixo custo (soja, trigo, arroz, colágeno) a um produto de mais alto custo, como o whey protein, sem que essa adição de outros tipos de proteínas seja comunicada no rótulo. Outra forma de adulteração consiste na adição de aminoácidos de baixo custo à proteína de forma a garantir um alto teor de aminoácidos e assim mascarar o teste quantitativo. Esse procedimento é chamado “Amino Spiking”.

A única forma de coibir essas adulterações seria através da realização de testes qualitativos, capazes de identificar não só a quantidade, como a qualidade, ou seja: qual o tipo de proteína, se houve adição de aminoácidos e quais aminoácidos foram adicionados.

Portanto, voltando à pergunta do início do nosso texto, a resposta é: escolha uma empresa idônea que respeite as Boas Práticas de Manufatura (cGMP) e que submeta seus produtos a análises qualitativas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 28 de Março de 2017
21:41
Loteria
06:10
Loterias
Segunda, 27 de Março de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)