Cassilândia, Domingo, 20 de Maio de 2018

Últimas Notícias

04/09/2013 16:09

STF esclarece valor desviado por João Paulo Cunha no crime de peculato

STF

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) acolheram em parte os embargos de declaração opostos contra a decisão na Ação Penal (AP) 470 apresentados pela defesa do deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), apenas para esclarecer o valor pelo qual o parlamentar foi condenado pelo delito de peculato. No julgamento do mérito da ação penal, Cunha, que era presidente da Câmara dos Deputados à época dos fatos narrados na denúncia do Ministério Público Federal, foi condenado a 9 anos e 4 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro.

Os ministros confirmaram que, para os efeitos da execução, na condenação pelo delito de peculato deve ficar consignado que o réu apropriou-se indevidamente de R$ 536.440,55, valor apontado na denúncia do Ministério Público Federal. A decisão, contudo, não altera a pena nem a multa impostas ao condenado.

No recurso, a defesa questionava, ainda, a fixação da pena-base imposta ao réu, quanto aos delitos de peculato e corrupção ativa, a fundamentação para a condenação pelo crime de lavagem de dinheiro e a decretação da perda do mandato do parlamentar.

Ao analisar o recurso na sessão desta quarta-feira (4), o relator do caso e presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa, confirmou a clareza e acerto do acórdão quanto aos pontos questionados, votando pelo desprovimento dos embargos, acolhidos apenas para esclarecer o valor da apropriação indébita.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 20 de Maio de 2018
Sábado, 19 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)