Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

22/08/2007 14:38

STF começa a julgar mensalão

Durante uma hora e meia, o ministro relator do caso mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, leu nesta quarta-feira a denúncia que cita 40 acusados de envolvimento com o escândalo e as justificativas apresentadas por cada um deles. Ele tentou ser breve, reproduzindo apenas os trechos principais, e os crimes indicados para os denunciados.

O relator fez um resumo das denúncias, lembrando que as acusações que cercam o mensalão - esquema de suposto financiamento a parlamentares do PT e da base aliada, denunciado em 2005 -, foram deflagradas a partir das denúncias do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ).

O julgamento deve durar pelo menos três dias, sendo que o resultado final pode sair na sexta-feira ou só na próxima semana.

Durante o julgamento, os ministros do STF vão decidir se aceitam ou não a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra os acusados de envolvimento no mensalão.

Na denúncia, o procurador-geral da República, Antônio Fernando Souza, cita 40 pessoas envolvidas com o escândalo. Além de Dirceu, são citados o deputado José Genoino (PT-SP), o publicitário Marcos Valério e os ex-dirigentes petistas Delúbio Soares e Silvio Pereira.

Defesa

Barbosa citou cada um dos 40 denunciados. Apenas aqueles cujo advogado é o mesmo, ele anexou as justificativas. Ao tratar do ex-ministro José Dirceu, o relator leu os argumentos da defesa, que afirmou que o "núcleo central" sempre negou sua participação ou ciência dos empréstimos de origem suspeita.

A respeito do ex-presidente do PT e deputado José Genoino (SP), o relator disse que a defesa alegou que as denúncias atingiram o petista por ele ocupar um cargo de comando no Partido dos Trabalhadores. "[Fui denunciado] pelo o que era", repetiu Barbosa, referindo-se a uma frase atribuída a Genoino.

O publicitário Marcos Valério e sua funcionária Simone Vasconcelos utilizaram os serviços do mesmo advogado. Assim o ministro anexou as duas defesas. Ambos afirmaram que a denúncia é improcedente. Segundo a defesa, "nenhuma das pessoas do núcleo de Marcos Valério praticou conduta irregular".

A defesa de Silvio Pereira, ex-dirigente do PT, alega que as denúncias não procedem. De forma semelhante reagiu a defesa do deputado João Paulo Cunha (PT-SP), ex-presidente da Câmara, negando as acusações de lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta e evasão de divisas.

O advogado do ex-ministro Luiz Gushiken, acusado de peculato, afirma que não há provas de que ele favoreceria a Visanet, como indica a denúncia.

Em sua defesa, o ex-deputado José Janene (PP-PR), denunciado por formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro, além de negar as acusações, observa que em várias situações "votou em dissonância do governo". Outro ex-deputado, Pedro Corrêa (PE), admitiu que seu partido, o PP, recebeu dinheiro do PT. Porém, afirmou que os recursos seriam para pagar honorários a um advogado.

Os deputados Pedro Henry (PP-MT) e Valdemar Costa Neto (PR-SP), em suas defesas, negam as denúncias de formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro. Para Costa Neto, "não havia quadro" que poderia configurar a formação de quadrilha.

O petista Professor Luizinho (SP), na sua defesa, nega as denúncias de lavagem de dinheiro. Já Delúbio Soares, que pertencia à direção do PT, argumentou que a ligação dele com o publicitário Marcos Valério se baseava em "amizade" e destacou que a relação do PT com vários partidos não era suspeita, pois se fundamentava em uma "aliança partidária".



Folha Online/PRG

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)