Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

08/08/2006 15:25

Só a carne de MS e PR deve ser barrada pela Rússia

A suspeita de novos focos de febre aftosa em Mato Grosso do Sul não atrapalha os planos do governo e da iniciativa privada de pedir a reabertura do mercado russo para a carne fornecida pelo Brasil. "Com exceção de Mato Grosso do Sul e do Paraná, os demais Estados podem receber autorização para voltar a vender para a Rússia", afirmou hoje o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Gabriel Alves Maciel. Em relação a esses dois Estados, Maciel disse que "não existe a menor perspectiva de reabertura neste momento, porque os trabalhos sanitários não foram concluídos".

Dois veterinários russos estão no Brasil desde o começo de agosto para vistoriar laboratórios, serviços de defesa sanitária e as regiões de Mato Grosso do Sul e do Paraná onde foram diagnosticados focos de febre aftosa a partir de outubro do ano passado. Só em Mato Grosso do Sul foram confirmados 33 casos da doença. Em resposta ao problema sanitário, o governo russo barrou as importações de carnes e subprodutos de oito Estados brasileiros.

Os Estados que não podem vender animais vivos, carne suína, bovina, produtos e subprodutos de carne crua de suínos e bovinos para a Rússia são Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. Em abril, o Rio Grande do Sul recebeu autorização para retomar as vendas para Moscou. Atualmente, além do Rio Grande do Sul apenas Tocantins e Rondônia estão habilitados a vender carnes para a Rússia.

Maciel contou que os veterinários russos e técnicos da Secretaria de Defesa Agropecuária terão uma reunião final na próxima segunda-feira (dia 14) na sede do Centro Panamericano de Febre Aftosa (Panaftosa), no Rio de Janeiro. Hoje, a missão realiza o segundo dia de visitas à chamada "zona de risco" de Mato Grosso do Sul, que inclui parte dos municípios de Japorã, Eldorado e Mundo Novo. Os focos de aftosa foram diagnosticados nessas regiões.

Ontem, o ministério confirmou que um primeiro exame para identificação da febre aftosa realizado em bovinos de Mato Grosso do Sul mostrou o resultado "reagente" para a doença. Os animais são de fazendas localizadas na área de risco para a doença, o que, na avaliação de técnicos da secretária, é "normal". Uma segunda coleta foi feita no dia 3 de agosto e o material está sendo analisado no Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro) de Porto Alegre. Os resultados dessa análise devem ser conhecidos na sexta-feira (11).



MSNOTICIAS

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)