Cassilândia, Sábado, 29 de Abril de 2017

Últimas Notícias

02/07/2014 14:07

Site de compra coletiva e restaurante indenizarão por falha na ceia de Natal

TJMS

O juiz titular da 12ª Vara Cível de Campo Grande, Wagner Mansur Saad, julgou procedente a ação movida por S.J.G. contra um site de compras coletivas e um restaurante, condenando-os ao pagamento de R$ 20 mil de indenização por danos morais, pois não forneceram de forma devida as refeições para a ceia de Natal que a autora havia comprado com eles.

Narra a autora da ação que adquiriu no site de compras coletivas uma oferta denominada “Ceia completa de Natal para 20 pessoas” pelo valor de R$ 425,00. Assim, organizou uma reunião no Natal, chamou familiares e amigos, dedicou completa confiança a oferta realizada e disponibilizou, inclusive, utensílios para que a refeição fosse entregue.

Porém, por volta das 19h do dia 24 de dezembro, foi até o restaurante para receber os pratos que havia comprado, encontrando apenas tumulto em razão da grande fila de pessoas e desorganização, que resultou que ela fosse atendida cerca de três horas depois.

Alegou ainda que recebeu parte dos pratos prometidos apenas às 23h, sendo a quantidade dos alimentos insuficiente, além de ser evidente a deterioração e inaptidão para consumo. Desta forma, pediu a condenação das rés ao pagamento de indenização por danos morais, uma vez que foi psicologicamente atingida por conta da frustração de seus convidados, já que não havia alimentação a ser oferecida a eles em uma data festiva tão especial.

Em contestação, o site de compras coletivas alegou que não realizou nenhum ato que pudesse gerar alguma ofensa, por ser apenas a empresa administradora da oferta de terceiros e que devolveu o dinheiro da compra feita pela autora.

O restaurante requerido sustentou que não deve ser responsabilizado pelo atraso ou quantidade dos alimentos, uma vez que o horário para entrega teria sido ajustado para as 23h, bem como a impropriedade dos alimentos não ficou comprovada.

Por fim, disse que o desgaste da autora com seus familiares e amigos resultou de uma precipitação e mau gerenciamento do horário do oferecimento da refeição dos convidados.

Ao analisar os autos, o juiz observou o próprio site de compras coletivas admitiu ter ocorrido a restituição do valor pago pelo serviço, tão logo tomou conhecimento do fato. “O trecho da resposta traz a admissão de ter ela, a primeira ré, diligenciado a confirmação daquele episódio e por ter encontrado resposta positiva para a notícia da autora fez o ressarcimento. Disso se extrai então, estar comprovado essencial do pedido indenizatório, ou seja, que a autora aceitando a oferta desembolsou a aquisição da ceia e viu-se frustrada com a não entrega”.

O juiz disse ainda que o caso em questão também é de responsabilidade do site de compras réu, pois mesmo que não tenha executado a entrega da refeição, ele teve lucro com o negócio, mesmo que tenha realizado o ressarcimento para evitar o pagamento de indenização.

Desta forma, o juiz julgou procedente o pedido de indenização por danos morais, uma vez que o fato da autora ter voltado para casa sem os alimentos produziu frustração íntima, visto que ela precisou se justificar para informar que os visitantes não receberiam a ceia de Natal.

Processo nº 0807944-56.2013.8.12.0001

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 29 de Abril de 2017
Sexta, 28 de Abril de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)